Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Santos aplica 8 a 0 no Bolívar e avança na Libertadores

Por Felipe Rosa Mendes

São Paulo – O Santos não tomou conhecimento do Bolívar na noite desta quinta-feira e aplicou um sonoro 8 a 0, diante da sua torcida, na Vila Belmiro, com direito a show de Neymar, Ganso e Elano. Cada um marcou dois gols na maior goleada desta edição da Copa Libertadores.

O placar elástico reverteu com sobras a derrota por 2 a 1 sofrida no jogo de ida, na altitude boliviana, e garantiu o time santista nas quartas de final. O próximo adversário da equipe brasileira será o Vélez Sarsfield, da Argentina. Por ter melhor campanha, o Santos decidirá o duelo em casa.

A vitória acachapante e o grande desempenho podem ser atribuídos em parte à motivação dos santistas, indignados com o comportamento agressivo da torcida boliviana no jogo de ida. Na ocasião, Neymar foi atingido por uma laranja quando se preparava para cobrar um escanteio.

A goleada embala ainda mais o Santos antes do segundo jogo da final do Paulistão, contra o Guarani, domingo, no Morumbi. O time santista entrará em campo com a vantagem de ter vencido a partida de ida por 3 a 0.

O JOGO – Engasgado com a atitude da torcida boliviana, no jogo de ida, o Santos deu a resposta às agressões dentro de campo nesta quinta. Em noite inspirada, o time brasileiro, com tradicional uniforme branco, dominou desde o início e abriu a contagem logo aos 5 minutos, em chute de Elano de fora da área. A bola fez curva e enganou o goleiro Arguello, mal posicionado debaixo do gol.

O Bolívar até tentou ameaçar a defesa santista nos primeiros minutos, mas as investidas não assustaram Rafael. Enquanto a zaga garantia a vantagem no placar, o ataque bombardeava Arguello sem enfrentar resistências. Aos 19, Henrique escapou pela lateral direita, entrou na área, sem marcação, mas desperdiçou a chance ao bater em cima do goleiro.

O segundo gol acabou surgindo na sequência da jogada. Em bate-rebate na área, Flores chegou a tirar a bola em cima da linha antes de Arguello empurrar Edu Dracena contra um marcador: pênalti. Neymar cobrou com tranquilidade aos 22 minutos e ampliou o placar.

O terceiro, e mais bonito deles, foi resultado da eficiência da dupla Neymar-Ganso. O primeiro cruzou da esquerda e o meia completou de calcanhar para as redes, aos 27. Três minutos depois, foi a vez de Alan Kardec brilhar, ao investir pelo meio, passar pelo marcador e bater no canto: 4 a 0.

Após atuar como garçom, Neymar contou com uma ajudinha do zagueiro Valverde para anotar seu segundo na partida e o quinto do Santos. Aos 36, ele escapou pela esquerda com facilidade, entrou na área e fez cruzamento rasteiro, desviado pela defesa boliviana para as redes.

O intervalo não mudou o panorama do jogo. O segundo tempo teve início semelhante ao do primeiro, com gol de Elano. Ele recebeu passe de Neymar, em mais uma assistência, e finalizou no canto esquerdo de Arguello.

Insaciável, o Santos marcou o sétimo dois minutos depois. Ganso bateu falta com categoria e contou com nova ajuda do goleiro, que pouco se esforçou para fazer a defesa. A facilidade empolgava a torcida, que gritava “olé” das arquibancadas.

Em ritmo de treino, trocando passes com tranquilidade, o Santos cravou o oitavo, com Borges, livre de marcação dentro da área. O atacante, que acabara de entrar, só precisou escolher o canto antes de bater para as redes. Ibson e Felipe Anderson também ganharam uma chance nas vagas de Arouca e Elano.

Mas foi Neymar quem continuou a brilhar em campo. O atacante quase marcou seu terceiro gol ao bater por cima do goleiro, aos 26. Arguello, porém, se recuperou rapidamente e tirou em cima da linha. Mesmo sem marcar, Neymar levantou a torcida com toques de calcanhar, bons passes e até uma carretilha sobre a defesa boliviana.

FICHA TÉCNICA

SANTOS 8 x 0 BOLÍVAR-BOL

SANTOS – Rafael; Henrique, Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca (Ibson), Elano (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Alan Kardec (Borges) e Neymar. Técnico: Muricy Ramalho.

BOLÍVAR-BOL – Marcos Arguello; Rodríguez, Frontini e Valverde; Álvarez (Siquita), Flores, Cardozo (Miranda), Campos e Lizio; Cantero (Reyes) e Arce. Técnico: Ángel Guillermo Hoyos.

GOLS – Elano, aos 5, Neymar, aos 22 e aos 36, Ganso, aos 27, Alan Kardec, aos 30 minutos do primeiro tempo. Elano, aos 5, Ganso, aos 7, Borges, aos 15 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Campos, Cantero, Flores, Frontini, Valverde.

ÁRBITRO – Martin Vasquez (Fifa-Uruguai).

RENDA – 15.060 pagantes.

PÚBLICO – R$ 535.445,00.

LOCAL – Estádio da Vila Belmiro, em Santos (SP).