Rogério Ceni nega vexame e diz que descanso prejudicou São Paulo

Treinador assumiu responsabilidade por eliminação para o Defensa y Justicia e disse que os 17 dias sem jogar tiraram ritmo de jogo do São Paulo

O técnico Rogério Ceni não considerou um vexame a eliminação, em casa, do São Paulo para o Defensa y Justicia, modesto clube que fazia sua primeira partida fora da Argentina em 82 anos de história. Na entrevista coletiva já na madrugada desta sexta-feira, o ex-goleiro lembrou os maus resultados do time nos últimos anos para se defender das críticas e disse que o longo período sem jogos oficiais foi prejudicial para o São Paulo.

O treinador tentou manter a calma depois das três eliminações consecutivas (para o Cruzeiro, na Copa do Brasil, para o Corinthians, no Paulistão, e para o Defensa y Justicia, na Sul-Americana). “Não acho que seja um vexame, mas sempre teremos a obrigação de ganhar em casa. Mesmo Se fosse Boca Juniors, Corinthians, Cruzeiro, sempre temos que vencer em nosso estádio. (…) Mas longe de ser vexame, é um time muito bem armado.”

Veja também

Ceni citou os resultados ruins do São Paulo na última década e a eliminação de outras equipes. “Saímos na semifinal do Campeonato Paulista, como acontece há 10 anos. Na Copa do Brasil, não conseguimos vencer, como não conseguimos ao longo de toda a história. Hoje, saímos precocemente, assim como Cruzeiro saiu ontem. O Palmeiras foi eliminado no Paulista, o Cruzeiro foi eliminado, mas tem equipes para ser campeões brasileiros.”

O São Paulo teve 17 dias para treinar após as duas eliminações em sequência, mas teve atuação muito ruim nesta quinta-feira, sendo, inclusive, pressionado pela equipe argentina na maior parte do tempo. Segundo Rogério, o longo período de treinos fez mal a sua equipe. “O time sente o ritmo de jogo. Eu preferia ter jogado as finais do Paulista, nos últimos domingos, do que parar nesse intervalo tão grande tempo, teria sido muito mais proveitoso.”

O treinador exaltou os 45 gols marcados pelo time na temporada e disse que seguirá com suas convicções, além de ter chamado para si a responsabilidade da derrota. “A culpa pelos resultados é sempre minha, que escolho os jogadores e aceitou trabalhar com esse grupo. Com as vitórias, os frutos serão dos atletas. Enquanto as classificações não chegam, a responsabilidade é toda minha.”

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ataíde Jorge de Oliveira

    E, aí BAmBy
    De_4 para o TiMãO
    & PRA : aDêVOgADo.rs.rs.rs
    Q
    NEM_PaÇÇa — na OäB de LöSeRmANoS.pQp

    Curtir

  2. Jarbas N. Cavalcante

    Não dá para entender certos “treinadores”. Se o time joga domingo, quarta, domingo, reclamam que não tiveram tempo para treinar. Se ficam 17 dias sem jogar, reclamam. Ceni, você foi um grande goleiro, porém, tem muito que aprender em sua nova profissão…

    Curtir