Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rivalidade contra o Corinthians é o remédio para cansaço santista

Os olhos quase fechados, demonstrando um claro cansaço pela sequência de jogos decisivos que já custou a escalação de Ganso, com uma lesão muscular, estavam presentes somente no desembarque da delegação santista após vencer o Once Caldas, na Colômbia, pela Libertadores. Contra a exaustão, nada melhor que um clássico no domingo, na Vila Belmiro, contra o Corinthians, para decidir o título paulista.

É o que falam os próprios jogadores. ‘Para a decisão, não tem cansaço ou qualquer outro motivo para nos atrapalhar e nos tirar de nosso foco. Todos que entrarem em campo estarão com 100% da bateria recarregada. São 90 minutos para conquistarmos o bicampeonato paulista. Agora é só o Corinthians’, alertou Edu Dracena.

Basta vencer o arquirrival para fazer a festa de 95% dos torcedores que estarão na Vila Belmiro. Por isso, o veterano lateral esquerdo Léo promete trabalho intensivo para se livrar de dores musculares, Neymar já está escalado, de acordo com o departamento médico, e Elano descarta os problemas físicos que o prejudicaram até na Libertadores, prioridade do clube no semestre.

‘Estou bem, meus exames são os melhores. Se qualquer jogador do Santos falar que não está cansado ou com alguma dor, é mentira’, admitiu o meio-campista, que, como seus companheiros, admite que as chuvas que caíram em Manizales desgastaram ainda mais a equipe, mas nada que atrapalhe o confronto deste fim de semana.

‘O cansaço de todos agora é normal, mas dá tempo de descansar até domingo. Neste ritmo de decisão, sempre que acaba um jogo se pensa em outro e daqui para a frente é superação mesmo. A equipe toda está de parabéns. Depois dos jogos, vejo no vestiário a exaustão de todos, mas o resultado positivo tem vindo, isso que é importante’, apontou Elano.

Para ajudar o elenco, a diretoria fretou o voo que trouxe a delegação de volta da Colômbia nessa quinta-feira. Além disso, a baixa faixa etária da maioria dos atletas ajuda na recuperação, como argumentam os próprios jogadores. Mas nada motiva mais do que o fato de enfrentar um arquirrival na decisão de um título estadual.

‘Estamos cansados, mas muito motivados. Jogando dentro de casa, com o apoio maciço da nossa torcida, vindo de um resultado positivo, não podia ser melhor. O Corinthians merece muito respeito, mas, jogando na nossa casa, temos que ditar o jogo. Precisamos tomar a iniciativa e não dar espaço’, ensinou Léo.