Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Real Madrid precisa vencer o Bayern para avançar à final da ‘Champions’

O Real Madrid recebe o Bayern de Munique, nesta quarta-feira, pela partida de volta das semifinais da Liga dos Campeões, após ter perdido por 2 a 1 na ida, na Alemanha, e precisa da vitória para conquistar a vaga para a decisão.

“Queremos estar na final, acho que merecemos estar lá”, declarou técnico do time espanhol, o português José Mourinho na coletiva de imprensa organizada na véspera do jogo.

O Real vem embalado após sua grande vitória por 2 a 1 sobre o Barcelona, no último sábado, em pleno Camp Nou. Com o triunfo, a equipe da capital espanhola deu grande passo rumo ao título de campeão espanhol ao abrir sete pontos de vantagem sobre os catalães.

Com a situação confortável na sua competição nacional, os jogadores do Real estão 100% focados na perspectiva de conquistar o décimo troféu da história do clube na ‘Champions’.

“Será difícil porque o Bayern é um adversário complicado, mas estamos preparados, sabemos que chegou a hora da verdade e vamos mostrar que queremos avançar para a final”, afirmou o meia Esteban Granero.

“Já temos uma ideia do que o Bayern vai fazer”, disse Mourinho, convencido de que os alemães não vão se fechar na retranca apesar de poder jogar pelo empate.

“O Bayern sabe que se não fizer gol, corre um grande risco de ficar fora. Por isso, acho que eles vão atacar porque sabem que o Real Madrid, com seu potencial ofensivo, tem grandes chances de marcar pelo menos um gol”, completou o treinador, que sabe que sua equipe pode se classificar com uma vitória simples por 1 a 0.

Para isso, o Real pode contar com a grande fase do craque português Cristiano Ronaldo, que fez o gol da vitória sobre o Barça no Camp Nou no último sábado e já balançou as redes oito vezes nesta edição da ‘Champions’.

Mourinho deve escalar o francês Karim Benzema na ponta do ataque e deixar a armação das jogadas com a dupla explosiva formada pelo argentino Angel di María e o alemão Mesut Özil. Com a volta do argentino em grande forma, o brasileiro Kaká tem poucas chances de ser titular.

O técnico do Bayern, Jupp Heynckes, não desmentiu o português e já afirmou que não pretendia se contentar em defender.

“Já sabemos que precisaremos marcar um ou dois gols e somos capazes de fazê-lo porque temos grandes jogadores ofensivos. No entanto, precisaremos ser muito compactos e não poderemos deixar espaços, para poder aproveitar as oportunidades de contragolpes”, afirmou.

Heynckes, que justamente comandou o Real Madrid no seu sétimo título na competição em 1998, poderá contar com um elenco mais motivado que nunca para disputar a final, que será realizada no seu estádio da Allianz-Arena de Munique.

Ele deve escalar uma linha defensiva de quatro com Lahm, Jérôme Boateng, Badstuber e Alaba, que foram poupados no último sábado, quando o Bayern derrotou o Werder Bremen por 2 a 1.

Para fazer o gol fora de casa que obrigaria o Real a marcar duas vezes, o treinador conta com Mario Gómez, autor do gol da vitória na ida em Munique e vice-artilheiro da competição com 12 gols, dois a menos que o craque argentino Lionel Messi, do Barcelona.

A única dúvida será o entrosamento entre os meias Franck Ribéry e Arjen Robben, que, de acordo com a imprensa alemã, discutiram feio no vestiário após a vitória contra o Real, na semana passada

“Esta partida de volta será bem diferente da ida. Em casa, controlamos muito bem a partida e merecemos vencer. O fato de ter feito dois gols foi uma grande vantagem, mas devo reconhecer que eles atacaram mais”, admitiu o goleiro do Bayern, Manuel Neuer, que prometeu fechar o gol.

“Não podemos cometer nenhum erro. A vitória sobre o Barcelona foi muito boa para eles, vão jogar com muita confiança”, completou.

Possíveis escalações:

Real Madrid: Casillas – Arbeloa, Pepe, Ramos, Marcelo – Xabi Alonso, Granero – Di Maria, Özil, Ronaldo – Benzema. Entrenador: José Mourinho

Bayern de Munique: Neuer – Lahm, Jérôme Boateng, Badstuber, Alaba – Kroos, Schweinsteiger – Robben, Müller, Ribéry – Gómez. Entrenador: Jupp Heynckes.