“Querem jogar meu nome na lama”, desabafa LeBron sobre fama de derrubar técnicos

O camisa 23 do Cleveland Cavaliers é acusado por parte da imprensa americana e por torcedores de ter orquestrado a demissão de David Blatt na última semana

A demissão de David Blatt, antigo técnico do Cleveland Cavaliers, na última semana, ainda repercute fora das quadras na NBA. Mas quem mais sofre com isso é o astro do time, LeBron James, acusado por parte da imprensa americana e por alguns torcedores de causar a queda de vários treinadores, inclusive a de Blatt, que saiu do comando da equipe em plena temporada regular da NBA, com o time liderando a conferência Leste.

Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, após a vitória dos Cavaliers sobre o Phoenix Suns por 115 a 93, o astro do basquete mundial desabafou e rebateu as críticas: “É uma droga. As pessoas querem jogar meu nome na lama sem nenhuma razão. Mas o que posso fazer? Eu nunca, desde que comecei a jogar basquete, derrubei ou desrespeitei um treinador. Sempre os respeitei e fiz o que me ordenaram. Não sou dono do time. Sou um jogador”, declarou o camisa 23 dos Cavaliers.

Os críticos reverberam a fama de “assassino de treinadores” do jogador por ele supostamente ter orquestrado a demissão de David Blatt para dar margem à efetivação do ex-assitente Tyronn Lue, atual técnico do Cleveland Cavaliers. O ala, no entanto, negou qualquer tipo de ajuda a Lue, e afirmou que todos os rumores sobre ele não passam de especulação:

“As pessoas me interpretam mal porque sou um bom jogador e dou minha opinião sobre certas coisas. É um saco, mas você não pode se preocupar muito com isso. Eu tenho meus companheiros e uma base de fãs aqui e no mundo. Eles respeitam o que eu faço. Eu não posso me preocupar por causa de um seleto grupo que quer usar energia negativa para me derrubar. Não vou deixar isso acontecer”, completou LeBron.

LeBron James assina contrato mais valioso da história da Nike

LeBron lamenta aposentadoria de Kobe Bryant: ‘Queria ser como ele’

NBA: LeBron ‘atropela’ torcedora, que sai de maca

(Com Gazeta Press)