Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Quenianos superam brasileiros e vencem Meia de SP com recordes

A Meia Maratona de São Paulo, disputada neste domingo, teve vitórias e recordes de atletas quenianos. No masculino, Joseph Aperumoi superou o brasileiro Marílson Gomes dos Santos e conquistou o título com o tempo de 1h01min38s, melhor da história da prova. No feminino, o título ficou com Pasalia Chepkorir, com 1min12min29s, também mais rápido do evento.

‘Eu me senti muito confortável hoje. O clima aqui estava parecido com o do Quênia e, como estou acostumado, consegui aplicar um ritmo bem forte no final da prova, que foi suficiente para a vitória’, disse Aperumoi após a vitória.

A prova masculina foi a mais disputada, com Marílson dominando até o km 17. Mas o queniano aproveitou a subida do Minhocão, no Centro, para ultrapassar o brasileiro, que acabou a prova na segunda colocação, com o tempo de 1h01min46s, também abaixo do antigo recorde da prova, que era dele.

‘Infelizmente, a estratégia não deu certo. Mas corrida é assim. Tentei pegar o queniano nos metros finais, mas não deu. O mais importante é que fiquei feliz como tempo, já que correr em São Paulo é sempre difícil. Isso só mostra que minha preparação para a Olimpíada de Londres está muito boa’, avaliou o brasileiro.Entre as mulheres, Pasalia Chepkorir, campeã da São Silvestre de 2009, encontrou mais facilidade e liderou a disputa a partir do km 10. ‘Não foi tão ruim, certo? A prova foi rápida e o mais importante é conseguir a vitória. O percurso é bem desafiador, com subidas e descidas e exigiu bastante. O clima estava bom também, apesar de um pouco quente’, celebrou.

A melhor brasileira na Meia Maratona de São Paulo foi Cruz Nonata da Silva, terceira colocada com 1h13min25s, atrás ainda da colombiana Erika Abril Suarez. Ela foi também a melhor atleta nacional da última Corrida Internacional de São Silvestre, em que ficou na sexta colocação.

‘A queniana desgarrou e a disputa acabou sendo com a colombiana. A prova foi desgastante, mas os tempos mostraram que o nível técnico foi bastante alto. Isso mostra que as meninas do Brasil estão cada vez mais focadas e profissionais’,avaliou.

Jaciel é o maior campeão entre os cadeirantes- A Meia Maratona de São Paulo também teve a disputa para atletas de cadeiras de rodas e outro recorde. Jaciel Antonio Paulino venceu a corrida em 1h04min58s e se tornou o maior campeão da prova, com três títulos, superando Carlos Neves de Souza, o Carlão, dono de dois troféus e segundo lugar neste domingo.

‘O objetivo era conquistar esse terceiro título e mostrar que os deficientes têm potencial. Também é importante ver que o esporte está crescendo. No ano passado, só três pessoas disputaram essa categoria. Agora, foram cinco, apesar do investimento, que é um pouco alto’, explicou Jaciel.