Presidente da Fifa é investigado por empréstimo suspeito

Gianni Infantino aprovou repasse para o atual presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, que usou o dinheiro para investir em uma empresa de apostas

O presidente da Fifa, Gianni Infantino, é alvo de investigação do Comitê de Ética da entidade. O motivo é um empréstimo suspeito de 4 milhões de euros para a Federação de Futebol da Eslovênia aprovado por Infantino quando ainda era secretário-geral da Uefa, em 2015.

De acordo com informações da revista norueguesa Josimar, o então presidente da Federação de Futebol da Eslovênia, Aleksander Ceferin, – atual presidente da Uefa e aliado de Infantino -, teria usado 3,6 milhões de euros do total repassado para comprar ações de uma empresa de apostas, a Sportna Loterija. A verba, porém, deveria ter sido usada exclusivamente para o futebol esloveno segundo a justificativa do acordo financeiro.

A publicação norueguesa afirma que o empréstimo viola o artigo 25 do código de ética da Fifa, que estipula que funcionários não podem ter associação com apostas, nem com investimento em ações e nem de forma indireta.

 

O Comitê de Ética da Fifa se recusa a dar qualquer informação sobre o caso e não confirma a existência da investigação. Um processo formal apenas será aberto quando todas as informações chegarem até a Fifa. Por enquanto o que existe é uma investigação preliminar para estabelecer os fatos.

(Com Estadão Conteúdo)