Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presidente do Corinthians entrega imagens de invasão à polícia

E sindicado de atletas de São Paulo formalizou pedido de inquérito da invasão no CT

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, levou nesta quarta-feira à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos as imagens gravadas pelo circuito interno do centro de treinamento do clube durante a invasão de mais de 100 torcedores ao local, no último sábado. Gobbi é delegado de polícia e disse que não deu voz de prisão aos invasores porque não estava no CT na hora da invasão. “E não sou Conan, não sou He-Man, para dar voz de prisão para 200 pessoas.”

Leia também:

Contra violência de torcida, Corinthians defende greve

Corinthians se reapresenta com segurança reforçada

Apesar de uma falha técnica ter interrompido parte da gravação do circuito interno no momento da invasão, Gobbi garantiu que há material suficiente para fazer identificações. “O serviço é feito por uma empresa terceirizada. O que foi gravado é mais que suficiente para identificar os autores da invasão. O aparelho técnico já está à disposição da polícia para perícia técnica.”

Leia também:

CT do Corinthians é invadido por grupo de 100 torcedores

Após invasão do CT, Corinthians tentou adiar partida com a Ponte Preta

O presidente do Corinthians também pediu punição rigorosa aos invasores que aterrorizaram os funcionários do clube. “Gostaria que fossem banidas de qualquer prática de esportes no Brasil, porque não vão parar e isso é um problema muito sério. As equipes não perdem porque querem perder. São coisas do futebol. As autoridades são as responsáveis por controlar esse tipo de violência, não os clubes.”

Leia também:

Vândalos da briga em Joinville são liberados pela Justiça

Santos, Corinthians, Internacional, Coritiba e Bahia lançam camisa amarela

Inquérito – O presidente do Sindicado de Atletas de São Paulo (Sapesp), Rinaldo Martorelli, se reuniu nesta quarta-feira com a delegada titular do Decradi/Dhpp, Margarete Barreto, para formalizar o pedido de inquérito da invasão no CT do Corinthians. “Agora precisamos que essa investigação seja feita e que os culpados sofram punições. Os atletas não merecem passar por isso, queremos que essa violência acabe”, disse Martorelli.

(Com Estadão Conteúdo e agência Gazeta Press)