Possível subsede em 2014, Pituaçu ganha sistema de energia solar

Enquanto a reformada Arena Fonte Nova, propriedade do Bahia, receberá jogos da Copa do Mundo de 2014, o estádio de Pituaçu, do governo do Estado, ambiciona se tornar subsede do evento e receber alguma seleção para treinamentos. Nesta terça-feira, de olho na escolha oficial, foi inaugurado um sistema de geração de energia solar.

Assim, o estádio Governador Roberto Santos (verdadeiro nome de Pituaçu), tornou-se o primeiro do Brasil e da América Latina a aderir a essa tecnologia. O sistema solar fotovoltaico servirá para movimentar as instalações elétricas do estádio, como lanchonetes, cabines de imprensa, placar, entre outros. A Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) utilizará o excedente da produção energética em sua rede.

Autossuficiente na produção de energia, o projeto no estádio de Pituaçu vai gerar economia de cerca de R$ 120 mil reais aos cofres públicos. Ainda há previsão para a troca dos refletores por outros que proporcionem maior economia de energia.

O projeto ‘Pituaçu Solar’ saiu do papel em parceria da Coelba com o Governo do Estado da Bahia, apoio técnico da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento por meio da Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC e, apoio do Instituto IDEAL. O custo total foi de R$ 5,5 milhões, sendo R$ 3,8 milhões investidos pela distribuidora do Grupo Neoenergia e R$ 1,7 milhão pelo Governo do Estado da Bahi