Surfe: Etapa brasileira na Tijuca mudará de sede por água poluída

A praia da Barra da Tijuca, que recebe os melhores surfistas do mundo desde 2012, foi trocada por Itaúna para sediar o Mundial de Surfe a partir de 2017

A Liga Mundial de Surfe (WSL, na sigla em inglês), responsável pela organização do Mundial de Surfe, anunciou nesta quarta-feira que a etapa brasileira mudará de sede por causa da água poluída no Postinho, região da praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A praia de Itaúna, em Saquarema (RJ), foi a escolhida para receber os melhores surfistas do mundo no Brasil, a partir de 2017. A etapa do Postinho, que já foi disputada em maio deste ano, sediava a competição desde 2012.

“Os atletas serão beneficiados com a consistência e o potencial para ondas excelentes na Praia de Itaúna. O Postinho era muito legal, mas não tivemos muita sorte com as ondas e a qualidade da água recentemente tem sido um desafio muito grande. Estamos comprometidos em manter o Circuito Mundial no Brasil e muito animados com a oportunidade de realizar mais um evento memorável para os fãs do mundo inteiro”, disse Kieren Perrow, comissário da WSL.

Neste ano, a etapa brasileira masculina foi vencida pelo havaiano John John Florence, líder da classificação geral e principal concorrente do brasileiro Gabriel Medina (2º colocado) para o título. Faltam duas etapas para o fim do campeonato: Peniche, em Portugal, que já está sendo disputada, e em Pipeline, no Havaí. O calendário da temporada 2017 do Circuito Mundial do Surfe será divulgado em 15 de novembro.

(Com Estadão Conteúdo)