Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Para evitar nova surpresa, Fabiana Murer quer saltar 4,90m em Londres

O ano de 2011 trouxe conquistas e ensinamentos para Fabiana Murer. Campeã mundial em Daegu tendo repetido o recorde sul-americano de 4,85m, a brasileira saltou os 4,70m que preojetou no Pan-americano, mas foi superada pela cubana Yarisley Silva e ficou com a prata em Guadalajara. Para evitar nova surpresa, a atleta quer chegar a marca dos 4,90m nos Jogos Olímpicos de Londres e acumular mais uma medalha na carreira.

‘É difícil projetar algo agora, porque a marca ideal depende muito das outras competidoras. Este ano foi atípico e só três conseguiram saltar os 4,80. Em Londres, eu vejo seis ou sete atletas em condição de disputar medalha. Vou treinar, me preparar para conquistar uma, seja de ouro, prata ou bronze, qualquer uma, eu já vou ficar feliz. Para isso, acho que tenho que saltar 4,90m’, analisa.

Embalada pela medalha de ouro inédita no Mundial de Daegu, Fabiana Murer foi para Guadalajara querendo alcançar a marca dos 4,70m . E conseguiu. Mas a brasileira viu a cubana Yarisley Silva saltar 4,75 e garantir o primeiro lugar.

‘Surpreendeu. Eu sabia que ela ia saltar bem, mas acreditava que não chegaria aos 4,70m. Mas ela foi além e fez o recorde pan-americano. Foi merecido. Eu saltei o que planejei e saí contente de lá. Foi gostoso, me diverti’, afirma Fabiana, rechaçando qualquer arrependimento por ter aberto mão de defender o título do Indoor em março de 2012 para disputar o Pan-americano.

‘Não me arrependo, acho que foi uma decisão acertada. As duas iam ser difíceis, disputadas e eu preciso passar um tempo sem competição para fazer uma reciclagem, descansar a cabeça e chegar bem em Londres, com vontade de competir’, garante Murer.

Não participar do Indoor de Istambul não significa que a atleta terá uma preparação falha. Fabiana volta aos treinos no fim de novembro. Além de trabalhar em São Paulo, a brasileira planeja uma temporada em Portugal com o técnico e marido Elson Miranda, e cinco competições antes de embarcar para Londres. ‘Começo a disputar torneio em maio. Alguns GP’s Internacionais, Troféu Brasil de Atletismo e Liga Diamante’, projeta.