Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nenê explica silêncio em polêmica: Quieto, até um tolo vira sábio

As recusas do pivô Nenê às convocações da Seleção Brasileira masculina de basquete nas últimas temporadas geraram críticas de ex-jogadores, técnicos e dirigentes, mas o atleta do Washington Wizards preferiu ficar em silêncio a divulgar seus motivos na mídia. Segundo ele, essa postura foi tomada justamente para diminuir a polêmica.

A atitude que mais criou controvérsia foi a recusa de Nenê ao chamado para defender o Brasil no Pré-olímpico de Mar Del Plata, em 2011. Assim como Leandrinho, o pivô brasileiro alegou motivos pessoais para pedir dispensa do time que colocou a Seleção de volta às Olímpidas após 16 anos – posteriormente o ala do Indiana Pacers apontou uma lesão no punho para justificar sua negativa.

‘A minha decisão foi de ficar quieto. Até o tolo se passa por sábio quando fica quieto. Tudo tem seu momento e aquele não era o momento de falar’, explicou o jogador, que nesta temporada foi trocado pelo Denver Nuggets e agora defende o Washington Wizards na NBA.

Nenê não joga pela Seleção Brasileira desde o Pré-olímpico de Las Vegas-2007 e chegou a integrar o grupo que foi ao Mundial da Turquia-2010, mas acabou cortado por conta de uma lesão.Agora, ele volta à equipe nacional para os Jogos Olímpicos de Londres-2012, assim como Leandrinho. Apesar da convocação feita pelo técnico Rubén Magnano também ter gerado polêmica, por conta da presença da dupla da NBA que recusou o chamado em 2011, o pivô garante que foi bem recebido por seus companheiros.

‘Foi bem suave. A gente até fica surpreso, porque às vezes a mídia cria um monstro e o jogador não está falando nada disso. Nós nos conhecemos há bastante tempo, às vezes eles nem sabem o que está acontecendo conosco, mas foi super tranquilo, aqui é uma família e está tudo bem’, avaliou.

O retorno à Seleção também serve para Nenê entrar em contato com velhos amigos, com quem convivia antes de se transferir para os Estados Unidos. Após se destacar no Vasco da Gama, ele foi para o Denver Nuggets em 2002 e só deixou a franquia de Colorado em março deste ano para jogar na capital do país.

A equipe masculina das Olimpíadas de Londres-2012 treina em São Paulo até dia 4 de julho, mas tem uma viagem a São Carlos para a disputa de um torneio amistoso com Nigéria, Grécia e Nova Zelândia no fim de junho. Nos dias seguintes, a programação da Seleção conta com competições preparatórias, na Argentina e Foz do Iguaçu, e um amistoso contra os Estados Unidos em Washington. A etapa final de preparação ocorrerá na França.

‘É gostoso que a gente fica zoando um ao outro, um fala das coisas que acontecem nos Estados Unidos, outro da Europa, do Brasil. Não é muito tempo, no ano acho que são dois meses que a gente passa um com outro e por isso tenta aproveitar ao máximo’, afirmou.

O Brasil está no Grupo B das Olimpíadas de Londres, ao lado de Austrália, China, Grã-Bretanha, Espanha e outra seleção que será definida no Pré-olímpico Mundial, da Venezuela. A estreia na competição ocorre no dia 29 de julho, contra o país da Oceania.