Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nenê e Caio Torres exaltam trabalho de Magnano em treinos

A Seleção Brasileira masculina de basquete iniciou na quarta-feira seus treinos preparatórios para os Jogos Olímpicos de Londres-2012 e já com poucos dias de trabalho os atletas reconhecem a importância do técnico Rubén Magnano. O argentino assumiu o time em 2010 e é considerado um dos responsáveis pela volta do Brasil às Olimpíadas após 16 anos.

Sob o comando do treinador, os atletas pré-convocados para Londres treinam em São Paulo em dois períodos. Os trabalhos são fechados para a imprensa, que pode acompanhar apenas os 15 minutos finais de cada atividade em um centro de treinamento na região do Morumbi.

‘O Magnano está em um nível altíssimo internacionalmente, não preciso nem falar muito da bagagem e currículo dele. Ele está dando a maior moral para nós, bastante confiança e ensinando muito, é um paizão’, avaliou o pivô Nenê, que desde 2002 joga na NBA, liga mais forte do mundo.

Magnano chegou à Seleção Brasileira credenciado por seu trabalho como técnico justamente do maior rival do time nacional, a Argentina. À frente da equipe nacional, ele foi vice-campeão do Mundial de 2002 e dois anos mais tarde conquistou as Olimpíadas de Atenas-2004.Já em seu primeiro ano de trabalho, Magnano liderou a Seleção no Mundial da Turquia-2010, em que o Brasil fez bom duelo com os Estados Unidos e acabou eliminado pela Argentina nas oitavas de final. Em 2011, mesmo sem contar com três dos quatro atletas nacionais da NBA, a equipe foi vice-campeã do Pré-olímpico de Mar Del Plata e garantiu vaga em Londres-2012.

A última participação do basquete masculino do Brasil em Olimpíadas foi em Atlanta-1996, em que o time ainda contava com Oscar Schmidt.

‘O que eu vejo no Magnano, vi em poucos técnicos. Ele é muito bom em todos os aspectos. Não é só no treinamento, ele conhece muito o jogo. Você sabe que pode seguir o que ele fala porque, se fizer bem, vai dar certo’, disse Caio Torres, do Flamengo, que na última temporada foi comandado por outro argentino: Gonzalo Garcia.

Acostumado aos treinos da NBA, Nenê aponta o trabalho defensivo pregado por Magnano como um dos diferenciais do treinador argentino em relação a outras estrelas do basquete internacional.

‘Geralmente os técnicos focam muito ofensivamente e deixam a defesa para os assistentes. Ele não. É um cara que sabe muito bem o ofensivo e o defensivo. E tem outra, ele indica para os jogadores a posição correta e o que tem que fazer’, afirmou o pivô, atualmente no Washington Wizards.