Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Natação: às vésperas do Mundial, Fina descarta punição ao Brasil

Atletas correram o risco de competir na Hungria, no mês de julho, sem reconhecimento e sob a bandeira da federação internacional

A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) revelou nesta quinta-feira as condições impostas pela Federação Internacional de Natação (Fina) para reconhecer a nova gestão da entidade e permitir aos atletas brasileiros representarem o país no Mundial de Budapeste (HUN), entre 14 e 30 de julho.

Citando comunicado enviado pela Fina, a CBDA afirma que a entidade internacional está inclinada a reconhecer a gestão eleita no início do mês, após a vitória de Miguel Cagnoni.

Insatisfeita com as mudanças recentes na CBDA, que sofreu até intervenção na Justiça, a Fina havia ameaçado não reconhecer a nova gestão e até impedir que os atletas brasileiros defendessem as cores do Brasil no Mundial. A entidade internacional poderia obrigar os competidores do país a competir sob a bandeira da Fina ou do movimento olímpico. Além disso, o Hino Nacional não seria entoado em caso de medalha de ouro.

“A Federação Internacional exige que a Federação Brasileira de Natação (CBDA) convoque uma assembleia geral, altere seu estatuto e envie as alterações à aprovação formal da Fina. Uma vez que isso seja feito, a Fina reconhecerá a nova administração eleita”, declarou o diretor-executivo Cornel Marculescu.

Marculescu, no mesmo informe, garantiu que os atletas brasileiros poderão defender normalmente o Brasil no Mundial.

(Com Estadão Conteúdo)