Na Nova Zelândia, estudar inglês combina com rúgbi

Programa neozelandês dá aos iniciados na modalidade, a mais popular do país, a chance de se aprimorar no idioma e treinar com atletas profissionais

Cursar uma universidade e, ao mesmo tempo, praticar esporte em alto nível é algo possível apenas nos Estados Unidos, mas quem deseja estudar inglês e treinar com atletas de primeira linha encontra uma opção interessante do outro lado do planeta. Na Nova Zelândia, o programa “Game On” tem por objetivo atrair atletas de todo o mundo para aprender o idioma sem deixar o esporte de lado.

Embora o remo e o golfe também sejam opções para quem pretende ir à Nova Zelândia – e os organizadores do programa pretendam incluir outras modalidades no futuro –, o foco do “Game On” é o rúgbi, esporte mais popular do país da Oceania. A exigência principal é que o candidato já tenha experiência na modalidade e a duração do curso é variável, adaptando-se às necessidades do aluno-atleta.

Um dia típico na vida de um participante do “Game On” tem três horas de aula de inglês e três horas de treino com profissionais da modalidade, cinco vezes por semana – esses treinamentos incluem atividades físicas e trabalhos para desenvolver os fundamentos do esporte. Supervisionado pela Rugby Union (a associação que comanda a modalidade no país), o programa é desenvolvido em várias cidades, como Auckland, a maior da Nova Zelândia, e pode ter a realização de torneios entre alunos.

“É uma experiência ótima conviver com atletas de elite da Nova Zelândia. Nós temos inclusive um trabalho em conjunto com a Confederação Brasileira de Rugby para levar jogadores do Brasil para lá”, conta Ana Maria Camargo, do Education New Zealand, órgão que leva estudantes do mundo inteiro para o país.

A participação no “Game On” custa 1.275 dólares (R$ 4,2 mil) por semana, incluindo os treinos, as aulas e a hospedagem na Nova Zelândia. O programa pode contar também com visitas a pontos turísticos do país.