Na 7ª fila ao lado de Bruno, Maldonado prevê que Williams pontuará em Xangai

Xangai (China), 14 abr (EFE).- O piloto venezuelano Pastor Maldonado (Williams), que neste sábado conquistou a 13ª posição do grid de largada do Grande Prêmio da China de Fórmula 1, amanhã em Xangai, afirmou que vê boas opções para ele e seu companheiro de equipe, o brasileiro Bruno Senna, pontuarem na Pérola de Oriente.

‘Eu acho que os dois carros podem estar tranquilamente entre as posições que marcam pontos’, ressaltou Maldonado, que dividirá a sétima fila do grid com Bruno, que vai largar na 14ª posição. A melhor volta do venezuelano foi em 1min36s283 e do brasileiro em 1min36s289. ‘Essa é a prioridade para amanhã e nosso objetivo’, explicou.

A classificação desta tarde foi ‘um pouco acirrada’, ‘fomos penalizados em parte pela queda na temperatura’, que desceu durante o Q2. ‘Não conseguimos colocar os pneus na temperatura correta, o que prejudicou a última volta’.

Sobre a prova de Xangai, terceira escala do mundial, declarou que será ‘uma corrida longa, em uma pista complicada’, mas que ‘muitas equipes terão dificuldades no traçado chinês, muito técnico em sua combinação de longas retas e curvas exigentes.

A partir da sétima fila, Bruno e ele estão ‘em uma posição bastante importante e perto da 10ª posição, a partir da qual os pilotos marcam pontos’, portanto a prioridade em Xangai será somar o máximo de pontos possíveis, reiterou.

‘Satisfeito eu não estou, porque gostaria de largar mais na frente’, disse, por isso que terão de ‘correr assim’, mas com o bom controle dos pneus e um carro ‘competitivo’, suas opções estão aí, apesar de que ‘vamos partir atrás e perderemos tempo recuperando posições.

Para Maldonado, a corrida de amanhã será decidida ‘na estratégia e nos pneus, que é um de nossos pontos fortes’.

‘Vou dar o melhor de mim e esperar que tudo corra bem com a estratégia e as paradas técnicas’, desejou.

Com relação ao incidente na classificação deste sábado com Heikki Kovalainen (Caterham), Maldonado explicou que o finlandês ‘se aproximou muito na penúltima curva, mas ainda havia certa distância, eu acho que não o penalizei em tempo nem em posição’, avaliou.

Os juízes advertiram o venezuelano, porque, ‘em uma curva de saída, poderia ter dado passada o outro piloto (Kovalainen) sem impacto em sua própria volta cronometrada’.

‘Era um momento difícil, porque estava já na última curva, e não podia deixá-lo passar, porque estava abrindo minha volta. Houve uma pequena confusão entre nós, mas nada de outro mundo’, minimizou Maldonado. EFE