Morre torcedora da Juventus ferida em tumulto na final

Erika Paioletti foi pisoteada no momento de pânico causado por suspeita de atentado terrorista em Turim, no dia da decisão da Liga dos Campeões

confusão durante a transmissão da final da Liga dos Campeões no último dia 3 em uma praça de Turim causou uma morte. Nesta sexta-feira, a Juventus confirmou que sua torcedora Erika Pioletti, de 38 anos, que estava internada havia quase duas semanas, não resistiu aos ferimentos. Ela e outros torcedores foram pisoteados em momento de pânico generalizado na Piazza San Carlo.

Cerca de 40.000 fãs da Juventus acompanhavam a final contra o Real Madrid no local. No momento do terceiro gol do clube espanhol, que venceu por 4 a 1 e foi campeão em Cardiff, no País de Gales, torcedores se assustaram por causa de um estampido, similar à explosão de uma bomba. Uma multidão, temendo se tratar de um atentado terrorista, correu e causou o tumulto que deixou mais de 1.500 feridos.

A morte de Erika Paioletti aconteceu na noite de quinta-feira, mas foi confirmada somente nesta sexta pela Prefeitura de Turim e pela própria Juventus, que vem acompanhando o estado dos feridos. A maior parte dos torcedores presentes sofreu somente lesões leves, em decorrência de garrafas quebradas na correria ocorrida na praça.

Vários torcedores e personalidades ligadas ao futebol prestaram homenagens à torcedora nas redes sociais, incluindo Valentina Allegri, filha do técnico da Juventus, Massimiliano Allegri.

“Hoje perdemos pela segunda vez. Desta vez, porém, não se trata de um jogo ou um troféu, mas de uma vida, de um de nós. É uma derrota bem mais grave e dolorosa (…) Pela enésima vez, vence o terrorismo, o alarmismo. Agora ele pode nos atacar indiretamente, criando ansiedade e medo, tanto medo, desta vez sem o uso de armas. Não podemos mais permitir tudo isso, deixar a violência e a ignorância vencerem. Descanse em paz, Erika”, escreveu Valentina.