Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Milagre no Rio: espanhóis vestem sandálias da humildade

Inapelável vitória brasileira faz a Fúria descer do salto e reconhecer a enorme superioridade brasileira na decisão da Copa das Confederações no Maracanã

“Não há desculpa. O Brasil foi melhor durante todo o tempo, é preciso parabenizá-los”, resumiu o treinador

Além de quebrar uma série invicta de cinco anos da Fúria em jogos oficiais e de dar o quarto título da Copa das Confederações para o Brasil, o massacre deste domingo no Maracanã foi responsável por outra façanha: possibilitar que a crônica internacional reunida no Rio de Janeiro juntasse em uma mesma frase as palavras “Espanha” e “humildade”. Pois os outrora soberbos atletas ibéricos, após a partida, não tiveram outra alternativa reconhecer a incontestável superioridade do adversário. “Serve como lição para nós”, afirmou Sergio Ramos. “Temos de felicitar o campeão”, resignou-se Iniesta. “É uma demonstração do que nos espera no ano que vem”, declarou Casillas. Sem se dar ao trabalho de procurar explicações para a derrota, o treinador Vicente Del Bosque também tirou o chapéu aos anfitriões. “Não há desculpa. O Brasil foi melhor durante todo o tempo, é preciso parabenizá-los”, resumiu o treinador. De volta à Europa, os agora humildes espanhóis terão mais de dois meses para se recuperar da traulitada imposta por Neymar e companhia: a Fúria volta a atuar apenas em setembro, contra a Finlândia, pelas eliminatórias para a Copa de 2014.

Leia também:

Brasil desbanca Espanha, levanta a taça a retorna ao topo

Final comprova: o futebol, apaixonante, não é matemática

Neymar: antes de operar a garganta, o grito de campeão

Enquanto o Brasil celebra, Elvis manda recado à Espanha

Brasil domina premiações individuais e Neymar é o craque

O ‘plano de metas Felipão’: crescer 4 anos em 4 semanas

Maracanã, um teste de realidade para a mimada Espanha

Copa das Confederações

Copa das Confederações (VEJA)