Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Messi conquista 5ª Bola de Ouro; Neymar fica em 3º

O argentino superou também seu maior rival nos últimos anos, o português Cristiano Ronaldo

O craque do Barcelona, Lionel Messi, foi eleito nesta segunda-feira, pela quinta vez na carreira, o melhor jogador de futebol do mundo, na premiação da Bola de Ouro da Fifa de 2015, em Zurique, na Suíça. O argentino, que recebeu o troféu das mãos do ídolo brasileiro Kaká, bateu seu maior rival nos últimos anos, o português Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, e o brasileiro Neymar – companheiro no Barcelona e indicado pela primeira vez na carreira entre os três finalistas. “É incrível, isso é muito mais do que eu já sonhei. Quero agradecer a todos os meus companheiros, pois sem eles eu não estaria aqui”, agradeceu Lionel Messi, que ficou no final com uma votação de 41,33%, à frente de Cristiano Ronaldo, com 27,76%, e Neymar, com 7,86%.

De 2009 a 2012, Messi foi absoluto e ganhou consecutivamente a maior premiação da Fifa. Nos últimos dois anos, Cristiano Ronaldo desbancou a soberania do argentino, mas, desta vez, a indicação a Messi parecia inevitável, com uma temporada primorosa do argentino, que teve como principal coadjuvante o parceiro de ataque e amigo Neymar. Foram cinco títulos com o Barcelona: Campeonato Espanhol, Copa do Rei, Supercopa da Europa, Liga dos Campeões e Mundial de Clubes.

Apesar de Cristiano Ronaldo ter sido artilheiro do ano – com 57 gols, contra 49 de Messi e 45 de Neymar – Messi foi mais uma vez o principal jogador do elenco do Barcelona, formando um dos melhores trios de ataques da história do futebol, com o uruguaio Luiz Suárez e Neymar. Só no Campeonato Espanhol, o argentino marcou 43 gols em 38 jogos, deu dezoito assistências, e terminou a Liga dos Campeões como artilheiro, com dez gols, empatado justamente com os seus concorrentes à Bola de Ouro, Cristiano Ronaldo e Neymar.

Messi ainda teve uma lesão no final de setembro que o tirou dos gramados por dois meses. Neymar aproveitou a oportunidade e mostrou liderança, com boas atuações na fase de grupos da Liga dos Campeões 2015/16 e no Campeonato Espanhol. Pela maturidade e protagonismo no Barcelona quando Messi estava fora, o brasileiro conseguiu chegar como finalista na Bola de Ouro após oito anos sem um atleta nacional aparecer na premiação da Fifa – o último deles foi Kaká, que faturou a Bola de Ouro em 2007.

Outras premiações – Carli Lloyd, artilheira da Copa do Mundo feminina pela seleção americana, campeã do Mundial, foi eleita a melhor jogadora do mundo, batendo a japonesa Aya Miyama e a alemã Celia Sasic. É a primeira vez em onze anos que Marta, detentora de cinco Bolas de Ouro, não aparece entre as finalistas.

Como melhor técnico, o espanhol Luis Enrique, do Barcelona, – que não estava presente na cerimônia – foi o escolhido, ficando à frente na votação do compatriota Josep Guardiola, do Bayern de Munique, e do treinador da seleção chilena, Jorge Sampaoli.

A técnica da seleção americana, Jill Ellis, foi eleita a melhor entre os treinadores de equipes femininas, batendo os adversários Mark Sampson, da seleção inglesa, e Norio Sasak, da seleção japonesa.

A seleção ideal da Fifa também foi anunciada durante a cerimônia, com quatro brasileiros na lista: Manuel Neuer (Bayern de Munique), Daniel Alves (Barcelona), Thiago Silva (PSG), Sergio Ramos (Real Madrid), Marcelo (Real Madrid), Paul Pogba (Juventus), Andrés Iniesta (Barcelona), Luka Modríc (Real Madrid), Lionel Messi (Barcelona), Neymar (Barcelona) e Cristiano Ronaldo (Real Madrid).

Leia também:

Bola de Ouro: Neymar aparece de chapéu e Messi veste smoking discreto

Do anonimato à glória em um voleio: Wendell Lira, o vencedor do prêmio Puskás

Messi diz que trocaria todas as bolas de ouro por uma Copa do Mundo

(Da redação)