Maracanã terá 2.500 PMs no início da Copa

Efetivo é superior ao total de policiais nas ruas em dias normais. Policiamento será ampliado a partir das quartas de final

A Polícia Militar apresentou, na manhã desta sexta-feira, o esquema de policiamento para a Copa do Mundo. A segurança do Maracanã será feita, na primeira fase da competição, por 2.500 homens – mais do que o total de policiais empregados no patrulhamento da cidade em dias normais. Segundo o tenente-coronel Marcelo Rocha, chefe do setor de Planejamento Operacional da PM, o efetivo deverá ser ampliado nas quartas de final e na final do campeonato.

“Hoje, cerca de 2.000 policiais atuam diariamente na cidade. A partir do dia 15 serão 8.000 na capital e em Teresópolis, reforçando a segurança nas imediações da concentração da seleção”, afirmou Rocha, após a apresentação, no Aterro do Flamengo.

Leia também:

Rio terá 20.000 homens envolvidos na segurança da Copa

Segundo o tenente-coronel, 2.900 PMs recém-formados e outros 2.000 que estavam de férias serão empregados durante o Mundial. Além do estádio, as arena da Fifa Fan Fest, em Copacabana, é outro local considerado estratégico pela polícia Militar. A estrutura, montada na Praia de Copacabana, terá um telão de 133 metros quadrados e capacidade para receber cerca de 20.000 pessoas.

Leia também:

Pesquisa retrata país em clima de Copa – apesar de tudo…

Fifa alerta estrangeiros sobre problemas do país da Copa

Para 9 entre 10 torcedores, Copa deixará imagem negativa

Outros bairros da Zona Sul do Rio também terão o policiamento reforçado devido à grande quantidade de turistas. Assim como o Centro da Cidade e a Ilha do Governador, onde está localizado o Aeroporto Internacional do Galeão. O policiamento terá o auxílio de helicópteros e lanchas da PM.

Manifestação – A programação de manifestações durante o evento é uma das preocupações da PM. Um protesto que acontecerá nesta sexta-feira, na Cinelândia, deverá ser um termômetro para os atos da Copa. No Facebook, cerca de 6.000 pessoas confirmaram presença no ato contra a realização do torneio.

De acordo com o tenente- coronel João Fiorintini, comandante do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), a segurança no entorno do estádio do Maracanã será reforçada nesta sexta-feira devido ao risco do protesto chegar ao locar. Policiais do Batalhão de Choque, da Companhia de Cães e da Cavalaria ficarão nos quarteis e poderão ser acionados caso o efetivo do Batalhão Especial de Policiamento em Grandes Eventos precise de reforços durante o percurso do ato, que começará na Cinelândia, mas não teve o percurso divulgado.