Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lucas e Neymar brilham em vitória sobre a Argentina

Foi a primeira vitória de Mano Menezes sobre um adversário de tradição. Com o treinador, o time do Brasil já havia tropeçado contra a França, a Alemanha e a própria Argentina

O momento de turbulência no trabalho de Mano Menezes na Seleção Brasileira ganha uma trégua. Nesta quarta-feira, o treinador obteve a primeira conquista com a equipe pentacampeão mundial. A vitória por 2 a 0 sobre a Argentina nesta quarta-feira, no estádio Mangueirão, em Belém, rendeu ao time verde-amarelo o título do Superclássico das Américas, a reedição da Copa Rocca.

De forma curiosa, quem abriu o caminho para a vitória brasileira foi o jovem Lucas, com um gol no início do segundo tempo. No jogo anterior contra a Argentina, o são-paulino havia sido pivô de uma discussão, após não ter sido aproveitado sequer no andamento da partida. Ele claramente aproveitou a primeira chance como titular. A vitória foi completada por Neymar, que acabou com um jejum de nove apresentações.

Para Mano Menezes, há outro motivo de comemoração: foi a primeira vitória sobre um rival de tradição. O treinador vinha sendo muito questionado por tropeços anteriores contra adversários como França, Alemanha e a própria Argentina.

Se for levado em conta os títulos anteriores da Copa Rocca, que começou a ser disputada em 1914, o Brasil fatura o nono título no torneio simbólico. Os argentinos têm quatro conquistas.

Agora, o Brasil se concentra em dois amistosos contra rivais do continente americano. Nos dias 7 e 11 de outubro, enfrenta, respectivamente, Costa Rica e México fora de casa.

Ressuscitada 97 anos após o seu início, a Copa Rocca foi idealizada por Julio Argentino Rocca. Antes de presidir a Argentina por duas vezes, o general comandou a chamada ‘Conquista do Deserto’. Com o campeonato, Rocca se tornou um dos pioneiros na mistura de futebol e política na América do Sul.

O Jogo – O calor da torcida paraense incentivou o Brasil a buscar o ataque. A ordem de Mano Menezes era clara: explorar as duas pontas para abrir a defesa argentina com três zagueiros. Na primeira grande investida, aos sete minutos, um chute de Lucas cruzou toda a pequena área e assustou o goleiro Orión.

Enquanto a Argentina apostava em investidas aéreas para o grandalhão Viatri, o Brasil apelava para a velocidade de Neymar. Aos 13 minutos, a estrela santista obrigou o goleiro adversário a grande intervenção no canto esquerdo, em arremate na entrada da área.

A superioridade brasileira continuou nos minutos seguintes, todavia sem a mesma intensidade. A equipe de Mano Menezes voltou a imprimir velocidade somente aos 39 minutos, em uma jogada individual de Lucas. Na direita, Borges foi lançado e chutou cruzado. Na pequena área, Neymar furou quando o goleiro já estava batido.

Sem substituições, o segundo tempo começou quente em Belém. Aos sete minutos, a Argentina criou a principal chance: um chute forte de Fernández parou no goleiro Jefferson.

No lance seguinte, o Brasil foi mais objetivo para abrir o placar. Em jogada com toques de primeira, Lucas recebeu de Danilo, arrancou para o campo de ataque, invadiu a área e tocou na saída de Orión. Um lindo gol do são-paulino.

O gol deixou a Seleção Brasileira mais leve em campo para criar jogadas ofensivas. Com Cortês inspirado pela esquerda, o país ampliou aos 29 minutos. Em jogada iniciada pelo ala, Diego Souza foi acionado na esquerda e cruzou para o gol de Neymar: 2 a 0. No fim, a torcida pôde desfrutar do toque de bola brasileiro para cantar olé.

(Com GazetaPress)