Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Liga dos Campeões: festa da final toma as ruas de Milão

Torcedores de Real Madrid e Atlético chegam à Itália e curtem atrações montadas pela Uefa

A dois dias da decisão entre Real Madrid e Atlético de Madri, Milão passa a falar espanhol – e também inglês, japonês, árabe, português, alemão… A final da Liga dos Campeões é um espetáculo que vai além do clássico de sábado, às 15h45 (de Brasília), no estádio San Siro. Nesta quinta-feira, teve início o Champions League Festival, uma série de eventos e atrações instaladas nos principais pontos turísticos da cidade. Cafu foi um dos responsáveis por levar a taça de campeão à Piazza Duomo, em frente à majestosa catedral de Milão, onde os torcedores enfrentaram o calor e as filas e se aglomeraram para tirar fotos com a “orelhuda”. Os espanhóis já começaram a chegar – e a se provocar, dando o clima de rivalidade que cerca a decisão do futebol europeu.

Segundo o jornal esportivo local La Gazzetta dello Sport, são esperados 40.000 espanhóis e a invasão de torcedores deve movimentar cerca de 60 milhões de euros (159 milhões de reais) na cidade. Nesta quinta, uma parte deles foi aos pontos mais conhecidos da cidade, alguns ainda à procura de ingresso. Pelas ruas, cambistas ofereciam as entradas mais baratas por 1.000 euros (cerca de 3.9000 reais). Mas é possivel curtir a atmosfera da decisão de graça. A Uefa montou uma estrutura impressionante pelas principais ruas do centro, com atrações interativas que vão do Parque Sempione, passando pelo Castello Sforzesco até o Duomo. A Uefa ainda montou mais duas fan fests para cada equipe – para evitar confusão entre os rivais – com telões instalados nas estações Central e Lotto (para o Atlético) e Pagano e Villapizzone para o Real. O esquema ficará montado até domingo, e terá atrações musicais e a presença de ex-jogadores.

Zidane e Simeone, eterna disputa entre classe e garra

Estrelas – Na manhã desta quinta, o ex-lateral Cafu, duas vezes campeão pelo Milan, levou a taça ao centro de Milão junto de outros ex-jogadores, como Massimo Ambrosini, Ivan Córdoba, e Dejan Stanković. A praça começou a encher à tarde e a fila para tirar fotos com a taça de campeão estava cerca de três vezes maior que a do Duomo, uma das catedrais mais belas e visitadas da Europa. As camisas de Real e Atlético se viam em número parecido (a camisa branca, especialmente a de Cristiano Ronaldo, era a favorita dos asiáticos). A maioria dos fãs, no entanto, estava na torcida pelo Atlético, o azarão, que busca seu primeiro título na competição, justamente contra o maior campeão (10 títulos) e rival.

Show – A estrutura montada pela Uefa é de fazer inveja – um cenário inversamente proporcional à paupérrima e retrógrada Copa Libertadores, o equivalente sul-americano da Liga dos Campeões. E todas as atrações, incluindo a foto com a taça, são gratuitas. Diversas brincadeiras, como uma cobrança de pênalti contra um goleiro virtual ou jogos de perguntas com direito a prêmios (broches ou bolas da Uefa), divertiram o público. Havia até um salão de beleza montado, oferecendo “cortes de cabelo dos maiores craques do futebol mundial”. Nos telões gigantes instalados na Piazza Duomo, imagens de músicos locais – alguns bem amadores – em shows que termiman às 23h locais e recomeçam na sexta às 11h.

Nesta sexta, ex-craques como Cafu, Raí, Roberto Carlos, Deco, Luis Figo, Marcel Desailly, Filippo Inzaghi, Lothar Matthäus, Clarence Seedorf, Juan Sebastián Verón, Fabio Cannavaro, Robert Pirès e David Trezeguet, entre outros, jogarão uma partida aberta ao público em um campo de grama sintética montado dentro do Castello Sforzesco. O ex-jogador espanhol Gayzka Mendieta ainda atacará de DJ, no sábado.

Pelé torce pelo Real Madrid

Há também lojas e bares, com preços um pouco salgados: 500 ml da cerveja da principal patrocinadora do evento saem por cinco euros (cerca de 19 reais). O cachecol (uma tradição nos estádios europeus) com os logos das equipes e da Uefa custa 20 euros (79 reais). As camisas oficiais das equipes finalistas custam 90 euros (359 reais).

Repercussão – A imprensa italiana também começou a dar mais espaço à decisão apenas nesta quinta. Ao longo da semana, as capas dos jornais esportivos se dedicaram quase exclusivamente à preparação da seleção italiana para a Eurocopa na França e às novidades de mercado. A chegada do Atlético nesta quinta foi destacada na TV e nos principais sites. O Real chega apenas nesta sexta, quando ambas as equipes farão o reconhecimento do gramado de San Siro.

A capa da Gazzetta desta quinta era dedicada a dois brasileiros: Pelé, que lança o filme Pelé, O Nascimento de Uma Lenda, e concedeu longa entrevista ao jornal esportivo mais popular da Itália; e também Daniel Alves, que pode se transferir do Barcelona para a Juventus. O jornal traz ainda uma entrevista com Sergio Ramos, zagueiro do Real Madrid e herói da conquista de dois anos atrás, ao marcar o gol que levou o clássico contra o Atlético para a prorrogação, em Lisboa.