Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Liberado, Tiger Woods nega embriaguez e culpa remédios

Ex-número 1 do golfe ficou oito horas detido sob suspeita de dirigir alcoolizado

O golfista americano Tiger Woods declarou nesta segunda-feira que a polícia o prendeu na madrugada por ter sofrido “uma reação inesperada” ao tomar um medicamento e sair para dirigir, e não por embriaguez ao volante, conforme foi divulgado. O ex-número 1 do golfe se desculpou por suas ações em um comunicado, reproduzido integralmente pela emissora WPTV-TV, filial da NBC no sul do estado da Flórida.

“Eu quero que o público saiba que o álcool não estava envolvido. O que aconteceu foi uma reação inesperada por conta de medicamentos. Eu não sabia que a mistura de medicamentos tinha me afetado tão fortemente”, disse Woods, em seu breve comunicado.

O golfista de 41 anos foi detido por volta das 3h (hora local), em Jupiter Island, no sul da Flórida, por supostamente dirigir sob efeito de substâncias tóxicas ou álcool. Ele foi liberado oito horas depois, sem precisar pagar fiança, informou o escritório do xerife do condado de Palm Beach.

“Eu entendo a gravidade de que fiz e assumo toda a responsabilidade das minhas ações”, disse Woods.”Gostaria pedir desculpas, com todo o meu coração, para minha família, amigos e fãs. Farei tudo que estiver ao meu alcance para garantir que isso nunca aconteça novamente.”

Finalmente, o golfista disse ter cooperado “plenamente” com a polícia e agradeceu o “profissionalismo” dos agentes do departamento de polícia de Jupiter Island e os representantes do escritório do Xerife do condado de Palm Beach, responsáveis por sua detenção.

A foto que a polícia tirou de Woods no momento da sua detenção rodou o muito inteiro. Na imagem, a lenda do golfe aparece cansado e sério. Em abril, Tiger Woods foi submetido à quarta cirurgia nas costas para tentar aliviar as dores que vem sentindo de forma permanente. O americano disputou um torneio pela última vez em fevereiro, em Dubai.

(com agência EFE)