Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Julio Cesar descarta favoritismo e elogia ataque uruguaio

Goleiro demonstrou preocupação com o trio Forlán, Luis Suárez e Cavani

Classificada como primeira colocada do grupo A, a seleção brasileira fará a semifinal da Copa das Confederações contra o Uruguai, segundo do grupo B, no Mineirão, nesta quarta-feira. O time de Luiz Felipe Scolari chegou à segunda fase após boas vitórias sobre Japão (3 a 0), México (2 a 0) e Itália (4 a 2), enquanto o Uruguai passou com resultados menos convincentes – derrota para Espanha e vitórias sobre Nigéria e Taiti.

Leia também:

Segurança reforçada na final da Copa das Conderações

Sob pressão, a Fifa se defende e Aldo provoca a imprensa

Para piorar o cenário para os uruguaios, a última vitória sobre o Brasil foi há 12 anos, em 2001, nas Eliminatórias para a Copa de 2002. Mesmo assim, o goleiro Julio Cesar rechaçou qualquer favoritismo. “O fato de termos vencido nas últimas partidas não quer dizer que somos favoritos. Apesar de jogarmos em casa, é um adversário sul-americano, que conhecemos bem.”

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Se o Uruguai preocupa, um ponto da equipe deixa Julio Cesar ainda mais apreensivo para o confronto que dará uma vaga na decisão do torneio, o ataque uruguaio com Forlán, Luis Suárez e Cavani, trio de muito sucesso na Europa nos últimos anos. “O Suárez foi um dos melhores do Campeonato Inglês do ano passado. O Cavani vem mantendo a regularidade na Itália há muito tempo. A atenção tem que ser enorme porque eles podem decidir em um piscar de olhos.”

(Com Estadão Conteúdo)