Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jogadores do Guarani entram em greve e ameaçam não terminar a Série B

A troca na diretoria executiva do Guarani, cujos associados destituíram o presidente Leonel Martins de Oliveira na noite desta segunda-feira, motivou os jogadores do Guarani a procurarem o Sindicato dos Atletas e entrarem oficialmente em greve por conta dos quatro meses de salários atrasados.

O representante dos atletas foi o atacante Fabinho, que expôs as dificuldades financeiras pelas quais passa o grupo, sem receber salários há quatro meses, assim como funcionários e fornecedores. A posição dos atletas é receber o pagamento ou pelo menos uma previsão do pagamento até sexta-feira, véspera do duelo diante do Goiás.

Mesmo sem garantias de permanência na Série B do Campeonato Brasileiro, os jogadores pretendem pressionar Antônio Sagulla, que assume a presidência do clube de forma interina já cheio de problemas para resolver.

‘Nós não viemos aqui hoje para falar mal de diretoria ou de ninguém. Sabemos que teve uma assembleia e que o presidente foi embora, mas para a gente ninguém deu solução nenhuma. O que a gente quer, eu digo falando por todo mundo, é que alguém nos traga uma solução’, afirmou o atacante Fabinho, em entrevista coletiva convocada pelos atletas na tarde desta terça-feira.

Fabinho disse que os jogadores vão continuar a treinar, mas não garantem entrar em campo às 17 horas (de Brasília) do próximo sábado se não houver a movimentação de algum empresário ou diretor do clube: ‘Esperamos que nossa situação seja resolvida o mais rápido possível. Estamos aguardando que alguém nos traga uma solução pagando nossos salários, porque não dá mais para esperar, estamos passando por dificuldades sérias. Esse grupo fez e está fazendo de tudo para que o Guarani permaneça na Série B e se depender de nós, o Guarani não vai cair’.