Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Invictas, três duplas brasileiras avançam no Grand Slam de Pequim

O primeiro dia de disputa do Grand Slam de Pequim do Circuito Mundial teve bons resultados para as duplas brasileiras. Alison/Emanuel, Ricardo/Pedro Cunha e Benjamin/Bruno Schmidt venceram todos os jogos que disputaram nesta quinta-feira e garantiram lugar na segunda fase da competição em território chinês. Já Márcio e Pedro Solberg sofreram a única derrota nacional e ainda não tem classificação assegurada.

Atuando pelo Grupo N, Alison e Emanuel superaram Jaani e Vesik, da Estônia, por 2 sets a 0, com parciais de 24/22 e 28/26, e suíços Heyer e Chevallier, também em sets diretos, parciais de 21/15 e 21/18. Agora, para garantir a liderança, os atuais campeões mundiais medem forças com s alemães Erdmann e Matysik.

‘É muito bom estar de volta a Pequim. O primeiro jogo, contra a Estônia, foi muito difícil. Eles estão em um ritmo melhor que o nosso e praticamente não cometeram erros, ao contrário de nós. O momento é de evoluir e temos que aprender a jogar as partidas mais difíceis’, analisou Emanuel.

Na chave K, Ricardo e Pedro Cunha estão na mesma situação dos compatriotas. Depois de triunfarem diante dos suíços Heuscher e Bellaguarda em sets diretos, com parciais de 21/17 e 21/14, e dos holandeses Stiekema e Varenhorst, também por 2 a 0, parciais de 30/28 e 21/18, os atletas decidirão a primeira colocação do grupo com os também holandeses Boerma e Spijke.

Quem também teve êxito nos duelos desta quinta-feira foi a parceria entre Benjamin e Bruno Schmidt. Após a quarta colocação no Grand Slam de Xangai desta temporada, os brasileiros venceram os noruegueses Skarlund e Spinnangr por 2 sets a 1 (21/17, 16/21 e 15/12), e repetiram o placar diante dos cazaques Sidorenko e Dyachenko, com parciais de 23/21, 16/21 e 15/8. Com os resultados, assumiram a ponta do Grupo K e tentarão manter a condição contra os chineses Zhou e Li.

Já os líderes do ranking mundial, Márcio e Pedro Solberg, quebraram a sequência invicta do Brasil. Após triunfarem diante dos austríacos Doppler e Horst por 2 sets a 1, com parciais 1/15, 19/21 e 15/12, fracassaram no embate com os alemães Brink e Fuchs, perdendo por 2 sets a 1, parciais de 21/17, 15/21 e 12/15. Na última rodada, a dupla nacional tenta a classificação no Grupo O diante dos norte-americanos Gibb e Rosenthal.