Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Invasão argentina a São Paulo é menor que esperada

Cerca de 40.000 argentinos vieram à capital paulista para acompanhar jogo; estimativa do consulado era de 70.000

A esperada invasão argentina a São Paulo para o jogo contra a Suíça ocorre em número menor que o esperado. Se o consulado do país vizinho estimava em 70.000 os torcedores na cidade, a SPTuris, empresa de turismo e eventos da cidade de São Paulo, reduziu o cálculo nesta terça para 40.000.

Leia também:

Siga no Instagram: uma seleção de fotos exclusivas em @vejanoinsta

Jogando diante de sua torcida, Argentina pega a Suíça no Itaquerão

Vídeo: argentinos provocam os brasileiros

Placar da zueira: como será o jogo entre Argentina e Suíça

Messi posa com a camisa do Corinthians no Itaquerão

Apenas cerca de 7.000 têm ingressos para a partida das 13 horas no Itaquerão. O restante ficará dividido entre a Fan Fest, no Anhangabaú (centro), e a Vila Madalena, na zona oeste. De acordo com o jornal argentino La Nación, torcedores pagaram até 3.300 reais a cambistas por um ingresso.

Até a noite desta segunda, menos de 500 argentinos haviam ocupado o espaço reservado a eles pela Prefeitura no Sambódromo do Anhembi, na zona norte, e no Autódromo de Interlagos, na zona sul. No começo da tarde, havia apenas 52 veículos, entre carros, vans e trailers, estacionados no sambódromo. À noite, o número chegou a 120 – mas não ocupou nem a metade da área destinada a eles. Já o autódromo tinha 35 carros em um espaço para 110.

Leia também:

Sabella faz mistério e não confirma Lavezzi no time

Argentina tem segurança reforçada na chegada a SP

Prefeitura de SP espera receber 70 mil argentinos

Os grandes jogos da primeira fase da Copa

Uma das dificuldades em monitorar a recepção aos visitantes é que, diferentemente do que aconteceu com a torcida chilena, que veio a São Paulo em comboio, os argentinos chegaram separadamente. A Polícia Militar, no entanto, afirmou que vem monitorando os visitantes por confusões ocorridas em Belo Horizonte – mas informou, em nota, que não divulgaria ocorrências pelo “caratér estratégico da situação”.

(Com agência Estadão Conteúdo)