Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Indiciado no ‘caso Fifa’, dirigente da Guatemala é preso em navio

Héctor Trujillo, um dos 16 indiciados pela Justiça americana, estava viajando em um cruzeiro na Flórida quando as autoridades americanas o prenderam

O secretário-geral da Federação Guatemalteca de Futebol, Héctor Trujillo, de 62 anos, foi preso nesta sexta-feira durante uma viagem de cruzeiro em Port Canaveral, na Flórida, nos Estados Unidos. Trujillo, que também é juiz da Corte Constitucional da Guatemala, já havia sido mencionado nesta quinta-feira pela procuradora-geral dos Estados Unidos, Loretta Lynch, como um dos 16 cartolas indiciados por envolvimento nos escândalos de corrupção da Fifa.

Dentre os 16 indiciados estão o presidente da CBF Marco Polo Del Nero e o ex-mandatário da entidade Ricardo Teixeira. Após ser informado da investigação da Justiça Americana, Del Nero pediu licença da entidade por um período de 150 dias. Os indiciados são acusados de fraude eletrônica, lavagem de dinheiro e corrupção.

Leia também:

CPI pedirá quebra de sigilo de ex-namorada de Del Nero

Na mira do FBI, Del Nero se recusa a explicar ausência em viagens

Candidato à presidência da Fifa planeja Copa com 40 seleções

Suspensão – A Fifa anunciou nesta sexta-feira suspensão de 90 dias dos dois vice-presidentes da entidade que foram presos em Zurique nesta quinta-feira, Juan Ángel Napout, presidente da Conmebol, e Alfredo Hawit, mandatário da Concacaf – ambos estão entre os 16 indiciados. Tanto Napout como Hawit vão aguardar um longo processo de extradição aos EUA que deve ser concluído apenas em meados de 2016. Para a Justiça dos EUA, praticamente todo o futebol sul-americano foi assolado por uma “corrupção sistemática”. Esses cartolas teriam recebidos propinas na negociação de contratos comerciais da Copa Libertadores, Copa América, Eliminatórias para a Copa do Mundo e mesmo amistosos, no valor de US$ 200 milhões (cerca de 750 milhões de reais).

(Com Gazeta Press e Estadão Conteúdo)