Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Impasse sobre Del Nero mantém dinheiro da Copa de 2014 bloqueado

Indiciado no caso de corrupção da Fifa, o presidente da CBF, que não sai do Brasil desde maio do ano passado, ainda não foi julgado

O impasse sobre a situação do presidente licenciado da CBF, Marco Polo Del Nero, impede que a Fifa transfira à entidade brasileira cerca de 100 milhões de dólares – quantia que prometeu repassar como fruto da renda obtida na Copa do Mundo de 2014, sediada no Brasil. O cartola – que não viaja ao exterior desde maio do ano passado, quando foi indiciado pelo FBI junto com outros figurões do futebol mundial – é o grande problema para a transferência do dinheiro. Em reunião, o Comitê de Auditoria da Fifa não aprovou liberação dos recursos para a CBF.

Del Nero pediu licença da presidência da CBF em dezembro do ano passado após ter seu nome confirmado entre os 16 dirigentes acusados de corrupção na Fifa e nas confederações de futebol de outros países. No entanto, ele não chegou a renunciar ao comando da CBF, mas confirmou sua saída do Comitê Executivo da Fifa. Apesar de não poder viajar ao exterior, sob o risco de ser detido pela Justiça dos Estados Unidos, ele ainda não foi punido pela Fifa nem julgado.

O caso de Del Nero depende da chegada de documentos que a Justiça americana precisa fornecer para a Fifa. Apenas com o indiciamento e provas em mãos é que a organização pode tomar uma decisão final sobre a suspensão do brasileiro. A punição a Del Nero, automaticamente, desbloquearia o dinheiro da Copa do Mundo de 2014.

Dos 100 milhões de dólares prometidos como parte da renda, apenas 8% foram enviados ao Brasil. Mas a quantia recebida ocorreu antes da denúncia do FBI, em maio de 2015. Desde então, o ex-auditor chefe da Fifa, Domenico Scala, optou por congelar toda a transferência.

(Com Estadão Conteúdo)