Ídolo do Leicester recebe ameaças após demissão de Ranieri

Jamie Vardy negou que tenha sido um dos causadores da saída do treinador italiano "Tenho eterna gratidão por ele", desabafou, nas redes sociais

O atacante Jaime Vardy, artilheiro do Leicester City na conquista do primeiro Campeonato Inglês dos 132 anos de história do clube, disse ter recebido ameaças de morte após a demissão do técnico Claudio Ranieri. O jogador foi acusado por torcedores de ter pedido a saída do treinador italiano aos diretores do clube. Ranieri era muito querido em Leicester e, em janeiro, foi eleito pela Fifa como o melhor treinador do mundo.

Vardy afirmou que vem recebendo ameaças praticamente toda semana. E elas incluem sua família e até seus filhos. “Nas redes sociais, andando pelas ruas… Para ser honesto, eu recebo as ameaças toda semana. Parece que os fãs de futebol não gostam de mim”, declarou o atacante, que desmentiu seu suposto papel na saída de Ranieri.

“Essa história está circulando e as pessoas acreditam. Aí você começa a receber ameaças de morte em relação a sua família, aos seus filhos e tudo”, reclamou o atacante, que alertou sobre o risco que sua esposa e seus filhos estariam correndo. “Eu tento conviver com isso, mas quando pessoas tentam cortar sua esposa enquanto ela dirige, com as crianças no banco de trás do carro, não é a melhor situação. Isso está acontecendo muitas vezes e é assustador.”

Depois da saída de Ranieri, o time reagiu no Campeonato Inglês e agora tem menos riscos de ser rebaixado, além de ter avançado às quartas de final da Liga dos Campeões, diante do Atlético de Madri. .Leicester ocupa o 15º lugar da tabela, a três posições da zona de rebaixamento.

Recentemente, o Leicester procurou o treinador Cesare Prandelli,  mas, em solidariedade a Ranieri, o ex-treinador da seleção da Itália rejeitou assumir o comando da equipe inglesa.

Vardy negou envolvimento na demissão de Ranieri com um post nas redes sociais. “Claudio tem e sempre terá meu total respeito! O que conseguimos juntos e como uma equipe foi  impossível! Ele acreditou em mim quando muitos não o fizeram e tenho eterna gratidão por ele”, escreveu, em um dos trechos, o atacante da seleção inglesa.

 

(com Estadão Conteúdo)