Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Histórico de mortes súbitas de jogadores de futebol

O volante italiano do Livorno, Piermario Morosini, que morreu neste sábado após sofrer uma parada cardíaca durante uma partida da Série B do ‘Calcio’ contra o Pescara, viveu um drama semelhante a outros jogadores que nos últimos anos perderam a vida de forma súbita.

Entre eles, o brasileiro Serginho, do São Caetano, que morreu aos 30 anos no dia 27 de outubro de 2004, durante partida contra o São Paulo.

– 16 de novembro de 2009. O atacante mexicano Antonio de Nigris, que jogava no Larissa, equipe da primeira divisão grega, morreu aos 31 anos após sofrer um ataque cardíaco.

O jogador começou a se sentir mal de madrugada e sua esposa chamou a ambulância, mas ele morreu ao chegar ao hospital.

– 8 de agosto de 2009. O zagueiro espanhol Dani Jarque, capitão do Espanyol, morreu aos 26 anos após sofrer um “infarto fulminante” enquanto estava concentrado com sua equipe na Itália.

O jogador morreu no seu quarto de hotel, na cidade italiana de Coverciano.

Na final da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, o meia Andrés Iniesta, do Barcelona, time rival do Espanyol na Catalunha, exibiu uma camisa com a mensagem “Dani Jarque sempre conosco” após ter feito o gol da vitória da seleção espanhola sobre a Holanda.

– 29 de dezembro de 2007. Phil O’Donnell, volante do Motherwell, morreu aos 35 anos no hospital após ter desabado em campo durante uma partida do Campeonato Escocês contra o Dundee United.

Ele caiu de repente no gramado enquanto seu treinador esta prestes a substituí-lo, poucos minutos antes do fim da partida que sua equipe venceu por 5 a 3.

– 28 de agosto de 2007: O zagueiro espanhol Antonio Puerta morreu aos 22 anos no hospital após ter sofrido diversas paradas cardíacas durante uma partida do Campeonato Espanhol contra o Getafe.

– 11 de abril de 2006: A jovem promessa Víctor Alfonso Guerrero, do Envigado, time da primeira divisão colombiana, morreu aos 17 anos, durante um treino. Ele desmaiou no gramado e chegou ao hospital sem vida.

– 25 de junho de 2005: O volante português Hugo Cunha, do União Leiria, morreu aos 28 anos enquanto jogava numa pelada com seus amigos. O jogador sofreu uma parada cardíaca, caiu no gramado e não pôde ser reanimado pelos socorristas.

– 27 de outubro de 2004: O zagueiro brasileiro Serginho, do São Caetano, morreu aos 30 anos após desabar no gramado durante uma partida contra o São Paulo, válida pelo Brasileirão.

Sua morte gerou uma grande polêmica no Brasil, já que a autópsia revelou que seu coração já tinha problemas e pesava 600 gramas, o dobro do normal.

O São Caetano foi punido com a retirada de pontos no campeonato, mas acabou não sendo rebaixado.

– 25 de janeiro de 2004: O atacante húngaro Miklos Feher, do Benfica, morreu aos 24 anos após desmaiar no gramado durante uma partida contra o Vitória Guimarães. De acordo com a autópsia, ele tinha má-formação cardíaca.

– 26 de junho de 2003: O volante camaronês Marc-Vivien Foé, morreu aos 28 anos em Lyon, na França, ao sofrer uma ruptura de aneurisma enquanto disputada uma partida de Copa das Confederações contra a Colômbia.

De acordo com a autópsia, Foé, que jogava no Manchester City, sofria de má-formação cardíaca.