Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Herói do bronze revela amargura e 4º colocado comemora

Reações curiosas em Salvador: italiano Buffon lamenta ter defendido 'apenas' três pênaltis e pede chuva na Copa; o uruguaio Tabárez festeja até a derrota

“Queria ter agarrado todos os cinco pênaltis cobrados. Caso contrário, ninguém se lembra”, lamentou Buffon, campeão do mundo (nas penalidades) em 2006

A vitória da Itália sobre o Uruguai, nos pênaltis, na Arena Fonte Nova, agradou aos torcedores de Salvador (pelos momentos emocionantes), aos italianos (que saíram com um lugar no pódio) e até mesmo ao treinador uruguaio Óscar Tabárez. “Fiquei muito satisfeito. Foi um jogo digno desta edição da Copa das Confederações. Nos entregamos, enfrentamos as dificuldades e marcamos dois gols. Queríamos o terceiro lugar, mas nos pênaltis, a Itália foi melhor”, disse o treinador uruguaio. Para o italiano Cesare Prandelli, contra o Uruguai, os jogadores italianos fizeram seu melhor primeiro tempo em todo o torneio. “Na segunda etapa, enfrentamos algumas dificuldades, especialmente físicas, já que nossos jogadores não conseguiam mais ser tão rápidos em suas reações. Mas o mais importante foi a força de vontade deles, que não desistiram e deram tudo de si na partida”, disse o chefão da Azzurra.

Leia também:

Itália supera Uruguai nos pênaltis e fica em terceiro lugar

Brasil desbanca Espanha, levanta a taça a retorna ao topo

Surpreendentemente criticado pela imprensa italiana por supostamente não ser um grande defensor de pênaltis, Buffon só não foi o homem da partida porque o atacante Edinson Cavani marcou dois golaços. “Divido o prêmio com ele. Nem preciso dizer que ele é um excelente goleiro. Já mostrou isso diversas vezes na carreira”, disse Cavani, magnânimo. O atacante Diego Forlán, que depois de desperdiçar uma penalidade máxima contra o Brasil voltou a perder uma cobrança na disputa por pênaltis em Salvador, também exaltou o talento do veterano arqueiro: “Às vezes você acerta e às vezes erra. É do jogo. Méritos para o Buffon”. Mesmo com seu excelente desempenho, o goleiro italiano mostrou-se incomodado com a fama de não ser um bom defensor de penalidades. “Queria ter agarrado todos os cinco pênaltis cobrados. Caso contrário, ninguém se lembra”, lamentou. Sobre o fato de jogar às 13 horas sob o sol da Bahia, Buffon também não se mostrou nada satisfeito. “Espero que chova na Copa do Mundo”.