Hamilton diz que F1 está falida e que Moto GP é mais emocionante

Tricampeão também criticou o sistema de proteção para a cabeça dos pilotos testada pela Ferrari nesta semana em Barcelona

Campeão da Fórmula 1 nas últimas duas temporadas, o britânico Lewis Hamilton criticou a categoria nesta quinta-feira, duas semanas antes da estreia em 2016. Questionado pela publicação britânica Autosport se a Fórmula 1 está “falida, sem rumo ou em plena saúde”, o piloto da Mercedes não quis se aprofundar, mas foi bem claro: “Eu diria que as duas primeiras opções.”

“Não quero falar muito, mas eu concordo com as duas primeiras coisas que você disse”, completou o tricampeão durante os treinos em Barcelona. Hamilton, um antigo fã das máquinas em duas rodas, também falou sobre o crescimento da MotoGP.

Leia também:

Ferrari apresenta carros de Vettel e Raikonnen para a temporada 2016 da F1

Mercedes e McLaren apresentam novos carros

Apesar de fracasso, Alonso segue como o mais bem pago da F1

“A MotoGP é muito legal, muito mais emocionante de assistir, eu diria. Somente porque é uma corrida mais disputada. ” O piloto de 31 anos ainda revelou o desejo de pilotar motos de velocidade. “Eu realmente preciso testar uma máquina da MotoGP. Isso seria muito legal. Eu só não vou dizer à minha equipe que estou fazendo isso”, brincou Hamilton.

A Fórmula 1 vem sendo alvo de críticas por sua falta de competitividade, entre outros problemas, há vários anos – após quatro anos de reinado absoluto da Red Bull de Sebastian Vettel, as últimas temporadas foram completamente dominadas pela equipe Mercedes de Lewis Hamilton e Nico Rosberg. A abertura da temporada 2016 acontece no dia 20, no GP da Austrália, em Melbourne.

Lewis Hamilton criticou a implementação da proteção no cockpit testada pela Ferrari

Lewis Hamilton criticou a implementação da proteção no cockpit testada pela Ferrari (VEJA)

Halo – Outro assunto comentado por Hamilton foi motivo de controvérsia nesta sexta-feira. O campeão usou suas redes sociais para reclamar dos testes de implementação do “halo”, proteção do cockpit feita para prevenir os pilotos de possíveis choques com objetos externos. “Por favor, não! Esse é o pior modelo da história da Fórmula 1. Eu sou a favor das questões de segurança, mas isso é Fórmula 1 e a maneira com a qual tratamos isso está perfeitamente boa”, escreveu Hamilton em um post acompanhado de uma foto da Ferrari com a novidade em seu carro.

O alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, discordou do rival e defendeu a instalação da proteção para a cabeçaem todos os carros nesta temporada. “Eu concordo que não ficou muito legal. Não é a figura que você está acostumado a ver na Fórmula 1. Mas se tivéssemos esse sistema antes, Henry Surtees e Justin Wilson poderias estar conosco. Pode ser feio, mas nada justifica não ter mais esses dois caras por perto”, declarou Vettel se referindo à morte dos pilotos de Fórmula 2 e Fórmula Indy, vítimas de acidentes nos últimos anos.

O atual modelo de proteção exibido pela Ferrari nesta semana de testes de pré-temporada poderá ser alterado no futuro. Questionado se a estrutura atrapalha a visibilidade de dentro do carro, Vettel negou qualquer tipo de empecilho. “Você pode ver o que precisa ver. Podemos melhorar o sistema em termos de estética e a quantidade de pontos cegos que podem diminuir. Testei também no simulador e acho que teremos evoluções em breve”, finalizou.

(da redação)