Guardiola reclama de jogar em estádio ‘vazio’ na Inglaterra

Chilique de Guardiola é porque Manchester recebeu 30.000 torcedores... Ainda bem que ele não trabalha aqui: média de público no Brasileirão é de 16.000

O técnico Pep Guardiola, do Manchester City, parece não estar satisfeito com os “míseros” 30.000 torcedores  que presenciaram nesta quarta-feira a goleada por 4 a 0 sobre o Borussia Mönchengladbach, no Etihad Stadium, que tem capacidade psrs 55.000 pessoas. Depois da partida, Guardiola reclamou sobre os vários assentos vazios no estádio: “Os nossos torcedores deveriam saber que jogamos para eles. É o nosso trabalho, mas sem eles não há razão para estarmos aqui. Precisamos deles na Liga dos Campeões.”

Leia também:
Estádio de Brasília puxa a fila dos elefantes brancos
São Paulo tem seu pior público em uma década e acumula prejuízos no Paulista

Mas Guardiola não percebeu que o setor vazio era destinado à torcida visitante: o jogo contra o Borussia foi adiado em 24 horas por causa de uma forte chuva, na terça-feira, e os torcedores adversários não compareceram.

Guardiola reclama de “barriga cheia”: enquanto os estádios  ingleses seguem lotados, no Brasil, por exemplo, a média de público do Campeonato Brasileiro de 2015 foi de cerca de 16.000 torcedores, quase a metade dq audiência da qual Guardiola ficou indignado. Ainda bem que Guardiola não trabalho  o Brasil, senão estaria em coma…

Estádio Etihad, Manchester City contra Borussia Monchengladbach pela fase de grupo da UEFA - Liga dos Campeões

Estádio do Manchester City vazio contra oBorussia Monchengladbach (Carl Recine/Reuters)