Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Guarani supera Ipatinga e impõe sexta derrota seguida ao adversário

O torcedor que compareceu nesta terça-feira, no Brinco de Ouro, em Campinas acompanhou um duelo de muita disputa de bola e poucas chances efetivas de gol, entre Guarani e Ipatinga. Mesmo com este cenário pouco animador, o Bugre saiu de campo com a vitória por 1 a 0, respirando na tabela de classificação da Série B, com dez pontos.

O gol solitário do jogo foi anotado pelo avante Schwenk, que acertou um belo voleio de rara felicidade, no ângulo do goleiro Bruno. Com o revés, a situação do Tigre ficou bem complicada, com o time comandando por Mazola Júnior chegando ao sexto jogo seguido com derrota. A equipe mineira soma apenas quatro pontos na zona de rebaixamento para a Série C.

Na sequência do Campeonato Brasileiro da Série B, o Ipatinga vai voltar a atuar em casa e recebe o Grêmio-SP, na sexta-feira, da próxima semana. Já o Bugre terá um dia a mais para se preparar para encarar o Bragantino, em Bragança Paulista.

O jogo – O Ipatinga começou o jogo a todo vapor, e logo no primeiro minuto, o armador Wellington Bruno soltou a bomba de fora da área, e obrigou o goleiro Emerson a trabalhar bem para fazer a defesa. Bem postado em campo, o Tigre tomou as rédeas do jogo, dificultando a saída de bola do Guarani, que pouco ameaçou no começo da partida.

A partir dos dez minutos, o Bugre conseguiu ter maior posse de bola, mas continuou com problemas para agredir o quadricolor com qualidade. Atuando fora de casa o time mineiro diminuiu o ritmo inicial, e recuou as linhas de marcação, passando a explorar as jogadas de contra-ataque e os erros individuais dos atletas do Guarani.

Aos 15, o time da casa conseguiu chegar com perigo pela primeira vez com Renato, que desviou cobrança de escanteio, mas o goleiro Bruno operou milagre para fazer a defesa a queima-roupa e ceder novo escanteio. Após essa tentativa, o Bugre manteve as dificuldades para furar o bloqueio do Tigre, chegando somente nas jogadas de bola parada, e em alguns arremates de média e longa distância.

Aos 35, em uma jogada rápida de contra-ataque, o Ipatinga quase marcou depois que Chiquinho entrou livre dentro da área em condições de finalizar, mas o lateral do Tigre tentou dar uma assistência para o avante Laércio, que chegou atrasado no lance, desperdiçando a oportunidade de marcar. O restante do primeiro tempo não teve mais nada de interessante.

Na volta para o segundo tempo, os dois times não fizeram mudanças nas formações iniciais, e o panorama do jogo também sofreu poucas alterações, ou seja, o Guarani tentando chegar a qualquer custo, e o Ipatinga tentando os contra-ataques. O time da casa, até foi mais ofensivo, mas sentiu a falta de um atacante de velocidade e de um armador de qualidade.

Esporadicamente, o Tigre chegava no campo de ataque, foi assim aos nove minutos, quando o lateral Chiquinho acertou um bom chute de fora da área, mas errou o alvo, com a bola passando sobre a meta do goleiro Emerson. A resposta veio depois de um vacilo da zaga quadricolor, que o avante Schwenk aproveitou girando para o gol, mas caprichosamente a bola explodiu no travessão, no melhor momento do Guarani.

Insatisfeito com o rendimento do time, o técnico Vadão resolveu mexer por atacado na equipe, sacando Oziel, Jackson e Renato Ribeiro para as entradas de Medina, Ademir Sopa e Thiaguinho, na tentativa até certo ponto desesperada de chegar ao gol. A partir dos 25 minutos, já com as mudanças, a partida ficou mais aberta, com as duas equipes tentando o tento da vitória, mas esbarrando na falta de qualidade técnica.

Aos 43, quando todo mundo imaginava que o placar iria ficar no 0 a 0, o avante Schwenk acertou um belo voleio de rara felicidade para abrir o marcador e reabilitar o Guarani na Série B do Brasileiro. O gol levou o torcedor do Bugre à loucura nas arquibancadas do Brinco de Ouro.