Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Galliani diz que manter Thiago Silva no Milan foi um ato de heroísmo

O governo de Silvio Berlusconi como primeiro-ministro da Itália não agradou boa parte da população do país, mas a sua gestão como presidente do Milan parece ter obtido altos índices de aprovação na última quinta-feira. O mandatário rossonero anunciou que Thiago Silva não seria negociado com o Paris Saint-Germain e foi chamado de herói pelo diretor executivo do clube, Adriano Galliani.

‘Eu me sinto muito melhor graças ao presidente Berlusconi. Acho que os torcedores do clube deviam agradecer a ele. Com Thiago Silva na equipe, o Milan perderá muito dinheiro, um dinheiro que Berlusconi cobrirá. É um ato de heroísmo. Venceu o coração, e não a razão’, declarou o eufórico dirigente italiano.

Galliano havia ido a Paris para negociar a venda do zagueiro Thiago Silva para o PSG na última semana. A proposta de 50 milhões de euros que foi apresentada ao clube italiano havia seduzido os dirigentes e o próprio jogador, mas não conseguiu balançar o rígido presidente do Milan. Por considerar o atleta um dos pilares de sua equipe, Berlusconi anunciou que as conversas não teriam prosseguimento e assegurou a permanência do brasileiro pelo menos até o fim de seu contrato.

Thiago Silva passou a ser considerado um dos principais defensores do mundo após o término do ‘Calcio’. Recentemente, o atleta assumiu a braçadeira de capitão na Seleção Brasileira e teve o seu nome confirmado por Mano Menezes para a disputa das Olimpíadas de Londres. Com a saída de Alessandro Nesta da equipe italiana, o jogador também se tornou a ser a grande referência do Milan no setor e foi apontado pelos torcedores como o maior destaque do time na última temporada.