Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Família de Messi entrará com recurso contra condenação

Advogados consideraram que a pena de 21 meses de prisão é apenas "simbólica", pois o jogador já teria devolvido a quantia reclamada pelo fisco espanhol

A família de Lionel Messi anunciou que entrará com recurso contra a condenação de 21 meses de detenção que o jogador e seu pai e agente, Jorge Messi, receberam nesta quarta-feira. Os dois são acusados de fraudar o fisco espanhol em 4,16 milhões de euros (cerca de 17 milhões de reais), referentes a direitos de imagens recebidos entre 2007 e 2009, mas devem escapar da prisão com o pagamento de multas

Em nota oficial, a família negou qualquer irregularidade e informou que Lionel e Jorge Messi recorrerão ao Tribunal Supremo contra a sentença imposta pela Audiência de Barcelona nesta quarta. Seus advogados consideraram que a sanção é apenas “simbólica”, pois alegam que Messi e seu pai já devolveram a quantia reclamada pelo fisco espanhol.

Leia também:

Barcelona apoia Messi: ‘Não tem responsabilidade penal’

Messi vai ao tribunal e diz que “não tinha ideia de esquema de fraude”

Despreocupado, Messi posta mensagem enigmática após ameaça de prisão

Além da pena de prisão, Lionel Messi recebeu multa de 2 milhões de euros (cerca de 7,3 milhões de reais). Os advogados de Messi, Enrique Bacigalupo e Javier Sánchez-Vera, consideran que o tribunal não levou em consideração o fato de os contratos não terem sido fechados por Messi nem por seu pai, mas pelas sociedades contratadas pela dupla. “Messi e seu país são cidadãos exemplares, e Leo é uma figura pública que vem demonstrando, dentro e fora de campo, seu bom comportamento”, completa a nota.

Os Messi são acusados de terem utilizado empresas no Reino Unido, na Suíça, em Belize e no Uruguai para evitar o pagamento de impostos. Em seu último depoimento, o jogador alegou que “apenas assinava os contratos” e não tinha conhecimento de nenhuma irregularidade. Segundo a defesa da família, uma empresa de advocacia foi responsável pelas infrações.

De acordo com o jogador, o conjunto de empresas foi elaborado por um escritório de advocacia de Barcelona que prestava assessoria à família na área fiscal e que mantinha contato apenas com seu pai. “Eu confiava nele e os advogados nos diziam que fizéssemos desta maneira”, disse o jogador de 29 anos.

Na ocasião, a promotoria aceitou a versão do jogador e retirou a acusação contra Messi antes mesmo do julgamento. No entanto, nesta quarta-feira, a Advocacia do Estado, que representa a Fazenda, optou pela condenação de Messi e de seu pai.

No processo, obtido pelo jornal catalão El Periódico (clique para ler, na íntegra), o juiz considerou que Messi cometeu crime ao ignorar as evidências de sonegação e afirmou que “sua conduta não pode passar impune para não mandar aos cidadãos a mensagem de que é preferível inibir-se a preocupar-se com os assuntos fiscais”.

(da redação)