Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

F1: Ecclestone é absolvido em processo em Londres

Chefão da F1 era acusado pela Constantin Medien em R$ 342,6 milhões de ter sido prejudicada na venda dos direitos comerciais da categoria à CVC, em 2005

Bernie Ecclestone não será punido pela tentativa de venda dos direitos da Fórmula 1 para a empresa CVC Capital Partners, em 2005. Nesta quinta-feira, o juiz Guy Newey absolveu o britânico de 83 anos de subvalorizar o produto de forma intencional, uma das acusações da companhia de mídia alemã Constantin Medien. Ex-acionista da F1, a Constantin Medien entrou na Justiça contra o chefão da F1, pedindo 144 milhões de dólares (342,6 milhões de reais), alegando ter sido prejudicada na negociação das cotas dos direitos comericais da categoria.

Leia também:

Bernie Ecclestone será julgado por suborno na Alemanha

Fórmula 1: Bernie Ecclestone é indiciado por suborno

Newey admitiu que Ecclestone pagou 44 milhões de dólares (104,6 milhões de dólares) ao ex-banqueiro alemão Gerhard Gribkowsky para garantir que os direitos fossem comprados pelo grupo CVC, mas afirmou que não houve interesse do britânico em vender as cotas abaixo do preço, o que teria prejudicado financeiramente a companhia alemã. Gribkowsky (condenado e preso por ter recebido o dinheiro) teria recebido o pagamento ilegal para que o dirigente pudesse escolher um comprador dos direitos comerciais da F1 – no caso, a CVC.

Leia também:

F1: Magnussen, da McLaren, domina treino no Bahrein

F1: Hulkenberg lidera primeiro teste no Bahrein. Massa não marca tempo

Ferrari é a marca mais poderosa do mundo – de novo

Petrobras volta à Fórmula 1 com patrocínio na Williams

Julgamento – No tribunal, Ecclestone alegou que não havia cometido nenhum ato corrupto, mas caiu em contradição ao dizer que realizou um pagamento depois de ter sido pressionado pelo ex-banqueiro alemão. Ecclestone, que se afastou do conselho de diretores da F1 após os processos, ainda terá de voltar aos tribunais, na Alemanha, em abril, desta vez pela acusação de suborno no pagamento a Gribkowsky.

(Com Estadão Conteúdo e agência Gazeta Press)