Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-presidente, Leonel vê ‘barco à deriva’ e teme pelo futuro do Guarani

Destituído da presidência do Guarani pelos associados nesta segunda-feira, Leonel Martins de Oliveira demonstrou estar conformado com a decisão que o afastou do cargo que ocupava há mais de cinco anos, e para o qual havia sido reeleito em março de 2011.

O problema, de acordo com o pensamento do ex-presidente bugrino, é que o time ficará totalmente sem comando nos dez dias em que Antônio Sagulla, mandatário interino, ocupará o cargo. Durante este período, o Conselho optará em realizar novas eleições ou nomear alguém que já faça parte do comitê diretivo da equipe.

‘Eu faço parte do Conselho e ele certamente se reunirá. Vamos aguardar pela decisão que será tomada, até lá o barco ficará à deriva, infelizmente. Ainda não dá para imaginar as consequências desse ato, nem o pensamento dos dirigentes que virão aqui no futuro. Quem sabe eles tenham alguma solução para os problemas do Guarani, sem que seja necessária uma venda ou permuta de patrimônio’, analisou o mandatário cassado.

É justamente o futuro do clube o principal temor de Leonel, ocupante do cargo desde 2006 e presidente a mais tempo no comando do Bugre, já que também esteve no cargo entre 1970 e 1977 e de 1984 a 1987. ‘Espero que o clube não volte ao passado, que todos sejam respeitados e que o Guarani tenha paz. Que as pessoas que futuramente venham administrar tenham capacidade e condições para resolver os problemas que nós herdamos e continuam. O Guarani se manteve até aqui, certamente os que virão vão ter que dar solução para os erros que cometeram no passado’, disse, se esquivando da responsabilidade.

Presidente interino, Sagula vê Guarani ‘limpo’ e já pede ajuda

Após assumir a presidência do Bugre de forma interina na madrugada desta segunda-feira, Antônio Sagulla analisou o ato dos associados e pediu união na tomada de decisões dentro do clube: ‘São quase três horas da manhã e foi uma noite cansativa, mas em que se pôs o Guarani a limpo. Todos chegam à conclusão de que o Guarani precisa se agregar, as pessoas têm que ajudar, têm que participar. Com a missão de comandar o clube pelos próximos dez dias, quero a ajuda de todo mundo’.