Ex-lateral Sylvinho vira auxiliar de Mancini no Cruzeiro

Por AE

Belo Horizonte – Entre os integrantes da nova comissão técnica de Vágner Mancini no Cruzeiro, um nome é mais familiar no meio do futebol. Trata-se do ex-lateral-esquerdo Sylvinho, que deixou a carreira de jogador profissional recentemente e terá sua primeira oportunidade como auxiliar técnico.

Logo em sua chegada, Sylvinho falou sobre a má fase da equipe no Campeonato Brasileiro. “A situação não é das melhores, já vivi muitas situações no futebol e posso dizer que a cara do Cruzeiro é de estar lá em cima, é um clube de uma estrutura fabulosa, sempre teve. Não deve permanecer nessa posição, nem pensamos nisso, pensamos em fazer esse time jogar cada vez melhor em condições físicas, técnicas, táticas e esse time deslanchar”, declarou o agora auxiliar.

O Cruzeiro é apenas o 16º colocado no Brasileirão e está a apenas quatro pontos do Atlético-MG, primeira equipe na zona de rebaixamento – 29 a 25. Assim, uma série de dúvidas sobre o comprometimento dos jogadores foi levantada. Mesmo com o pouco tempo de clube, Sylvinho negou que isto esteja acontecendo.

“Nenhum atleta está descomprometido, ninguém teve problemas, em absoluto. O Vágner até elogiou de manhã e à tarde eu pude perceber. Muita vontade, muito desejo e temos até que ir devagar, porque senão é muito. No futebol as coisas acontecem ao natural, nem muito nem menos, achar esse ponto é difícil e é isso que vamos tentar fazer. Temos alguns jovens, outros mais experientes, alguns de nível internacional e vamos encontrar o equilíbrio, assim eles darão conta do recado facilmente”, avaliou Sylvinho.

Como jogador, Sylvinho foi revelado pelo Corinthians, em 1994, e após boas temporadas foi contratado pelo Arsenal, em 1999. Após dois anos, acabou perdendo espaço e foi parar no Celta de Vigo, onde voltou a se destacar. Acabou sendo contratado pelo Barcelona, onde ficou por cinco anos, antes de encerrar a carreira com uma temporada no Manchester City. Aos 37 anos, o ex-lateral demonstrou empolgação com o novo desafio profissional.

“Está no meu sangue. Eu gosto disso, de ver posicionamento, conversar com treinadores. Se eu puder contribuir em alguns aspectos, detalhes e, evidentemente, ao lado do Mancini, no sentindo de usar uma estrutura tática, de auxiliar, vou ajudar e tentar levar sempre por um caminho”, declarou Sylvinho.