Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Espanha bate Portugal nos pênaltis e chega à final da Eurocopa

A seleção da Espanha, atual campeã mundial e europeia, garantiu presença na decisão da Eurocopa, nesta quarta-feira, em Donetsk, na Ucrânia, ao derrotar Portugal por 4 a 2 na disputa de pênaltis, após empate sem gols no tempo normal e na prorrogação.

A ‘Fúria’ disputará a final no próximo domingo contra o vencedor do confronto entre Alemanha e Itália, nesta quinta-feira, em Varsóvia.

Cesc Fábregas, que já havia marcado o pênalti decisivo contra a Itália nas quartas de final da Eurocopa-2008, repetiu o feito nesta quarta-feira, levando a torcida espanhola ao delírio.

O astro português Cristiano Ronaldo, que deveria ter sido o último batedor da sua equipe, nem teve oportunidade de ajudar o time, já que o goleiro espanhol Iker Casillas defendeu um pênalti de João Moutinho e contou com a sorte quando a cobrança de Bruno Alves acertou o travessão.

A Espanha começou a disputa de pênaltis da pior forma possível, com Xabi Alonso chutando para a defesa de Rui Patrício, mas Andrés Iniesta, Gerard Piqué, Sergio Ramos e Cesc Fábregas não falharam, enquanto Pepe e Nani também converteram suas cobranças para Portugal.

Os portugueses criaram mais chances de gol no tempo normal, mas a Espanha acordou na prorrogação, e por pouco não abriu o placar aos 14 do tempo extra, mas o goleiro Rui Patrício fez uma defesa milagrosa em chute de Iniesta.

Se vencer a final deste domingo, a Espanha se tornará na primeira equipe a ganhar duas Eurocopas e uma Copa do Mundo de forma consecutiva.

A seleção de Portugal, que goleou os espanhóis por 4 a 0 em partida amistosa em novembro de 2010, já tinha sido eliminada pelo mesmo adversário poucos meses antes nas oitavas de final da última Copa do Mundo, na África do Sul.

Nesta quarta-feira, em Donetsk, o treinador espanhol Vicente Del Bosque surpreendeu ao escalar na ponta do ataque Álvaro Negredo, enquanto Fernando Torres e Cesc Fábregas tinham se revezado na posição nas primeiras partidas da competição.

No entanto, o atacante do Sevilha não conseguiu encontrar brechas na eficiente dupla de zaga formada por Bruno Alves e o brasileiro naturalizado português Pepe e acabou sendo substituído por Fábregas no início do segundo tempo.

A Espanha teve seu primeiro lance perigoso aos 9 minutos, em grande jogada que começou com uma linda tabela entre Jordi Alba e Andrés Iniesta pela esquerda e terminou com um chute de Álvaro Arbeloa que passou por cima do travessão de Rui Patrício.

Aos 29, Iniesta recebeu um grande passe de Xavi, mas também errou o alvo ao chutar por cima do gol português.

A equipe lusa reagiu dois minutos depois, quando Cristiano Ronaldo tirou proveito de uma saída errada de Jordi Alba e recuperou a bola em ótima posição, mas chutou rente à trave esquerda de Casillas.

No início do segundo tempo, além de colocar Fábregas no lugar de Negredo, que teve uma atuação apagada, Del Bosque tirou David Silva para a entrada de Jesús Navas para buscar mais profundidade no lado direito. Sua última cartada foi substituir o meia Xavi pelo atacante Pedro a quatro minutos do fim do tempo normal.

Nos acréscimos, Portugal teve uma boa chance em contra-ataque puxado por Raul Meireles que deixou Cristiano Ronaldo em ótima posição, mas o artilheiro perdeu a oportunidade de ouro de dar a vitória à sua equipe ao isolar a bola na arquibancada.

A entrada de Pedro acabou surtindo efeito na prorrogação e a Espanha levou muito mais perigo nos minutos finais, mas Rui Patrício salvou sua equipe com uma defesa espetacular em chute de Iniesta.

Na disputa de pênaltis, o goleiro português passou muito perto de ser o grande herói da partida ao defender a primeira cobrança, de Xabi Alonso, mas Casillas deu o troco logo em seguida ao parar o chute de João Moutinho.

Bruno Alves levou os portugueses ao desespero ao acertar o travessão e Fábregas mandou a Espanha à final ao balançar as redes na última cobrança, ofuscando Cristiano Ronaldo, que nem teve oportunidade de bater.