Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Edições diárias para tablets e iPhones; leia a edição grátis deste domingo

Já está no ar a edição deste domingo de VEJA PLACAR. Até 14 de julho, segunda seguinte à final, VEJA e PLACAR lançarão edições eletrônicas diárias. Sempre às 7 da manhã, grátis. Elas trarão os resultados, as histórias, os dramas e as glórias das partidas da jornada anterior e um guia completo do que acontecerá ao longo do dia que se inicia.

Leia também:

Siga no Instagram: uma seleção de fotos exclusivas em @vejanoinsta

Brasil sofre e flerta com tragédia, mas avança nos pênaltis

Seleção reclama da caçada a Neymar – e teme até perdê-lo

Felipão perde a paciência e ameaça voltar ‘ao velho estilo’

Com medo, com sorte e com fé

No longo voo pelas asas da Panair que trazia de volta a novamente vitoriosa delegação brasileira, o grande lateral-esquerdo Nilton Santos encontrou, enfim, a resposta para uma pergunta que até ali o intrigava: como se ganha uma Copa do Mundo? Ele já ganhara uma, em Estocolmo, e acabava de ganhar a segunda, em Santiago, além de ter participado de outras duas. Só agora, porém, sentiu o mistério resolvido. “Copa do Mundo se ganha com fé, mas também com medo de perdê-la”, ele afirmou, em uma síntese do imensurável desafio de conquistar o título e, antes do título, alcançar cada triunfo, por mais complicado que seja. A história é contada pelos jornalistas Armando Nogueira e Araújo Neto no belo livro Drama e Glória dos Bicampeões, publicado logo após a vitória de 1962 nos gramados chilenos.

Além da fé e do medo da derrota, ele poderia ter acrescentado: “E com a ajuda do imponderável”. Ou da sorte, do destino, dos caprichos da bola.Tudo isso ajuda a explicar o jogo sofridíssimo que quase virou tragédia e no fim se transformou em um épico. A vitória do Brasil contra o Chile nos pênaltis, na luminosa tarde de sábado em Belo Horizonte, teve todos os elementos do inesperado que fazem do futebol o mais apaixonante, popular e universal dos esportes.

COMO FAZER O DOWNLOAD DAS REVISTAS – Para quem já é assinante de VEJA para tablets e iPhone, nada muda. Para os outros, basta baixar o aplicativo de VEJA ou acessar o IBA, a banca digital da Editora Abril.