Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Dirigentes da Fifa deveriam passar por teste de integridade’, diz Blatter

Cartola suíço publicou em sua coluna na revista semanal da Fifa que lutará pela reorganização da entidade até seu ultimo dia no escritório

O presidente da Fifa Joseph Blatter disse em sua coluna na revista semanal da entidade, publicada nesta sexta-feira, que apoia a introdução de “testes independentes de integridade a todos os membros dos mais importantes comitês da Fifa”, proposta por Wolfgang Niersbach, presidente da Federação Alemã de Futebol e novo membro do Comitê Executivo da Fifa. “Niersbach voltou a colocar na mesa uma iniciativa que vinha sendo bloqueada pela Uefa. Antes tarde do que nunca.”, escreveu o suíço.

A coluna destaca a realização de uma reunião extraordinária do seu comitê executivo, que será realizada no próximo dia 20 de julho, em Zurique, para definir a nova data da próxima eleição presidencial da Fifa. Blatter renunciou ao cargo depois da revelação dos escândalos de corrupção na entidade, investigados pela Justiça dos Estados Unidos. Ele, no entanto, permanece no cargo até que seu sucessor seja eleito.

Caso Fifa: versão de Teixeira contradiz investigação e desmente Espanha

Jogo do Brasil contra Egito, em 2011, também é investigado

Caso Fifa: Suíça identifica 53 transações suspeitas para Copas de 2018 e 2022​

Blatter destacou que a Confederação Asiática de Futebol é a única que conta com um comitê de ética independente nos moldes do que possui a Fifa, e que as outras confederações deveriam fazer o mesmo. Além disso, o dirigente ressaltou que é preciso redistribuir melhor os membros do Comitê Executivo da Fifa, que hoje conta com 25 nomes e deveria ser ampliado a um maior número de representantes para dar mais espaço, por exemplo, às confederações da África e da Ásia, que contam respectivamente apenas com cinco e quatro integrantes no comitê. “Apenas juntos poderemos continuar a guiar o processo de reforma. Isso é algo que eu me empenharei até o dia final do meu mandato”.

Nota do presidente da FIFA, Sepp Blatter

Nota do presidente da FIFA, Sepp Blatter (VEJA)

(Com Estadão Conteúdo)