Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cristiano Ronaldo decide e Portugal chega à final da Euro

Craque marcou um gol e deu uma assistência na vitória por 2 a 0 sobre o País de Gales, em Lyon

O aguardado duelo entre Cristiano Ronaldo e Gareth Bale, os dois craques do Real Madrid, na semifinal da Eurocopa teve um claro vencedor. Com um gol e uma assistência de seu capitão, Portugal venceu o País de Gales por 2 a 0 e chegou à decisão do torneio continental na noite desta quarta-feira.

O duelo no estádio Parc Olympique Lyonnais, em Lyon, estava equilibrado até Cristiano Ronaldo aparecer para decidir nos dez primeiros minutos da segunda etapa. O craque três vezes eleito o melhor jogador do mundo, marcou um belo gol de cabeça e participou do segundo, de Nani. Cristiano ainda igualou o recorde de gols marcados na história da Euro: fez nove, assim como ex-jogador francês Michel Platini.

Leia também:

Cristiano Ronaldo ‘obriga’ companheiro a cobrar pênalti

​O pior da Euro-2016: coceira, chilique e vexames​

O melhor da Euro-2016: zebras, figuras e euforia

Com a vitória (a primeira no tempo normal em seis partidas no torneio), Portugal voltou à decisão da Eurocopa depois de 12 anos. Em 2004, com um jovem Cristiano Ronaldo em campo e o técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari no comando, o time perdeu a final de forma traumática, em casa, para a zebra Grécia. Desta vez, Cristiano Ronaldo espera derramar lágrimas de campeão.

“A equipe fez um trabalho maravilhoso para chegar à final. Espero que vocês me vejam chorar de alegria no domingo. Sempre disse que queria ganhar algo com Portugal. Faz 13 anos que atuo no mais alto nível e as estatíticas nunca mentem. É natural estar aqui”. A final deste ano acontecerá no próximo domingo, no Stade de France, em Paris, contra o vencedor do jogo desta quinta-feira, em Marselha, entre a anfitriã França e a campeã do mundo Alemanha.

Os galeses se despedem de maneira honrosa em sua primeira participação no torneio. Depois de avançar na primeira fase, a equipe de Gareth Bale eliminou a Irlanda do Norte e a Bélgica, para delírio de sua fanática torcida. Foi o melhor resultado da história da seleção – a última boa campanha havia sido na Copa de 1958, na Suécia, quando Gales perdeu para o Brasil nas quartas de final, com um gol de Pelé.

O jogo – As duas equipes tinham desfalques importantes: Pepe, lesionado, e William Carvalho, suspenso, por Portugal, e o zagueiro Ben Davies e o meia Aaron Ramsey, ambos suspensos, pelo País de Gales.

O jogo foi amarrado no primeiro tempo, com bastante cautela dos dois lados. Portugal ousou um pouco mais, mas esbarrou na forte marcação britânica. Na metade da primeira etapa, Bale teve seu único bom momento: puxou contra-ataque com velocidade, levou da direita para o meio e chutou por baixo, mas Rui Patrício defendeu sem problemas.

Portugal voltou mais ligado do intervalo e marcou o primeiro logo no início. Raphael Guerreiro levantou a bola na área e Cristiano Ronaldo, com impulsão incrível, marcou um lindo gol de cabeça.

No embalo, Portugal empatou pouco depois em nova jogada de seu capitão. Cristiano pegou a sobra na entrada da área e chutou cruzado, mas a finalização errada acabou virando uma assistência para Nani, que escorou e fez 2 a 0.

A equipe portuguesa controlou a partida e Cristiano ainda perdeu uma boa chance de superar Platini na artilharia histórica do torneio. A cinco minutos do fim, o camisa 7 driblou o goleiro galês, mas, com pouco ângulo, chutou para fora.

O craque de 31 anos, que já conquistou a Liga dos Campeões deste ano pelo Real Madrid, se recuperou de um início ruim no torneio e se credenciou ainda mais para a conquista de mais uma Bola de Ouro da Fifa ao final do ano.

(da redação)