Confederações: Tradução errada colocou Vidal contra Cristiano

Termo 'cuco', que no Chile tem sentido de "bicho-papão" causou acidente diplomático entre as estrelas do torneio

As entrevistas em grandes eventos, com jornalistas de todos os cantos do mundo ao redor, muitas vezes podem ser um perigo para os entrevistados por causa de um fator decisivo: a tradução. Na última segunda-feira, a vítima foi o badalado meia Arturo Vidal, da seleção chilena. Às vésperas da semifinal da Copa das Confederações da Rússia contra Portugal, Vidal foi respeitoso ao falar de Cristiano Ronaldo, mas a mensagem que chegou para diversos jornais europeus foi exatamente o contrário.

Quando já deixava a zona mista Vidal foi perguntado se Cristiano seria “el cuco” de Portugal. A expressão popular no Chile quer dizer alguém temido – em português do Brasil a melhor definição seria “bicho-papão”. O volante do Bayern de Munique apenas riu e disse: “Não, o ‘cuco’ não existe.” Uma má tradução, no entanto, deu a entender que a frase teve o seguinte sentido: “Cristiano é um espertalhão, para mim ele não existe”.

De fato, a expressão ‘cuco’ abre margem para discussões. Na Espanha, por exemplo, o “bicho papão” é conhecido como “coco” e “cuco” diz respeito a alguém “esperto, vivo”. A tradução feita pelo diário britânico Daily Mail, porém, deu início a grande confusão. O tabloide sensacionalista  usou o termo pejorativo “smart ass“, que tem o sentido de “sabichão”, que acabou repercutindo por jornais como o espanhol Mundo Deportivo.

Quando falou mais claramente sobre Cristiano Ronaldo na entrevista, Vidal foi respeitoso. “Cristiano está fazendo as coisas bem, mas jogaremos contra Portugal, não contra ele.” O jogo entre os atuais campeões sul-americanos e europeus acontece na quarta-feira, às 15h (de Brasília).

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. José Carlos Lopes de Oliveira

    Matéria de jornalista que não tem o que fazer. Por que não pede para ir ao WO e sai de fininho?

    Curtir