Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com erro pelo Real na memória, Sergio Ramos garante: ‘Não tive medo de nada’

(Atualiza com novas declarações de Sergio Ramos).

Donetsk (Ucrânia), 27 jun (EFE).- Um dos vilões da eliminação do Real Madrid nas semifinais da última Liga dos Campeões por ter falhado em sua cobrança na disputa de pênaltis contra o Bayern de Munique, o zagueiro espanhol Sergio Ramos correu o risco de repetir o ‘feito’ nesta quarta-feira, na semifinal da Eurocopa, contra Portugal.

No entanto, o jogador converteu a quarta tentativa da Espanha no duelo com os portugueses, com direito a cavadinha, e ainda contou com a sorte e a ajuda do goleiro Iker Casillas para não voltar a ser derrotado nas penalidades.

Mesmo com o erro contra o Bayern ainda recente e presente na memória, Sergio Ramos garantiu que não teve medo para voltar a cobrar um pênalti importante.

‘Não tive medo de nada. Já tinha vontade de vencer desde o que aconteceu com minha equipe nas semifinais da Liga dos Campeões, porque sempre tive confiança’, declarou o defensor ao canal espanhol ‘TeleCinco’.

Em tom de brincadeira, o defensor admitiu ser ‘um pouco louco’ e revelou que o técnico Vicente del Bosque deveria imaginar que a cobrança seria irreverente.

‘Del Bosque já poderia fazer uma ideia que eu era capaz de fazer algo assim, porque já trabalha comigo há alguns anos e, no fundo, sabe que estou um pouco louco’, brincou o zagueiro, eleito pela Uefa o melhor jogador da partida na Donbass Arena, em Donetsk.

Sergio Ramos também exaltou o espírito de grupo do elenco comandado por Del Bosque e considerou que a ‘Fúria’ fez por merecer a vaga na final, a terceira seguida em competições importantes, depois dos títulos da Euro-2008 e da Copa do Mundo de 2010.

‘Estou muito contente de chegar à final e orgulhoso de ser espanhol, porque acho que a seleção mereceu’, resumiu o jogador do Real Madrid, que afirmou não ter preferência quanto ao adversário da decisão. A outra semifinal, entre Itália e Alemanha, será disputada nesta quinta-feira, em Varsóvia. EFE