Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com Bolt, Jamaica conquista o tetra mundial do 4x100m

A equipe jamaicana completou a prova em 37s36, melhor marca do ano, no Estádio Ninho do Pássaro, em Pequim

A Jamaica conquistou pela quarta vez consecutiva o revezamento 4x100m masculino do Campeonato Mundial de atletismo. Com Usain Bolt, a equipe jamaicana completou a prova em 37s36, melhor marca do ano, no Estádio Ninho do Pássaro, em Pequim. A prata ficou com os Estados Unidos, com 37s77, e o bronze com a China, com 38s01.

É a 11ª medalha de ouro de Usain Bolt em Mundiais de atletismo, já que ele venceu os 100m, os 200m e o 4x100m em 2009, 2013 e 2015. Em 2011, quando o evento foi disputado em Daegu, ele queimou a largada dos 100m e subiu ao lugar mais alto do pódio nas outras duas provas. Foi no Ninho do Pássaro, nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, que a Jamaica começou sua hegemonia no 4x100m, até então dominado pelos Estados Unidos.

O país caribenho foi medalha de ouro naquele evento e em todos os quatro Campeonatos Mundiais de atletismo e duas Olimpíadas seguintes. A disputa do 4x100m masculino não contou com o Brasil na final porque a equipe nacional derrubou o bastão já na primeira passagem de atletas, de Gustavo Santos para Aldemir Gomes da Silva Júnior, nas eliminatórias. Bruno Lins e José Carlos Gomes Moreira, o Codó, completariam a prova nacional.

Cinegrafista se desculpa por atropelamento e presenteia Bolt

Usain Bolt conquista tetra nos 200m em Pequim

Na versão feminina, o ouro do 4x100m também foi dá Jamaica. Veronica Campbell-Brown, Natasha Morrison, Elaine Thompson e Shelly-Ann Fraser-Pryce completaram a prova com 41s07, recorde do campeonato. A prata foi dos Estados Unidos, com 41s68, e o bronze ficou com Trinidad e Tobago, com 42s03. O Brasil esteve perto de se classificar à final, mas ficou com a nona colocação das eliminatórias com a marca de 43s15, 0s06 mais lento do que a Rússia, que ficou com a oitava e última vaga na briga por medalhas.

Nos 5.000m, o britânico Mo Farah conquistou o tricampeonato mundial, ao completar a prova com o tempo de 13min50s38, deixando o queniano Caleb Mwangangi Ndiku com a prata, com 13min51s75, e o etíope Hagos Gebrhiwt com o bronze graças à marca de 13min51s86. O atleta britânico já tinha vencido a prova nos Mundiais de Moscou 2013 e Daegu 2011. Na Rússia e na China, ele foi campeão também dos 10.000m, repetindo o feito obtido nos Jogos Olímpicos de Londres 2012, em que conquistou o ouro nas duas distâncias.

(Com Gazeta Press)