Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com atuação heroica e gol de Ramires, Chelsea elimina Barcelona e vai à final

Redação Central, 24 abr (EFE).- O Chelsea deu uma aula defensiva e garantiu nesta terça-feira sua classificação para a final da Liga dos Campeões ao empatar em 2 a 2 contra o Barcelona, em pleno estádio Camp Nou, depois de ter vencido a partida de ida por 1 a 0, em Londres.

O placar foi construído com a participação decisiva do brasileiro Ramires, que marcou no finzinho da etapa inicial o primeiro gol dos ‘Blues’, quando o Barça vencia por 2 a 0. Fernando Torres, nos acréscimos da segunda etapa fez o outro gol londrino. Busquets e Iniesta marcaram os gols catalães.

O Chelsea se garantiu na decisão da Liga dos Campeões, no dia 19 de maio, em Munique. A se lamentar, apenas os desfalques já confirmados de três jogadores, Terry, Ramires e Raul Meireles, todos suspensos.

Do outro lado, a tristeza por mais um mau resultado diante do Chelsea, única das das 52 duas equipes que Josep Guardiola enfrentou e não venceu, no comando do Barcelona. Além disso, Lionel Messi segue sem marcar contra os londrinos.

Barça e Chelsea entraram em campo com formações táticas completamente antagônicas. Enquanto os catalães abusariam da ofensividade para reverter o placar de 1 a 0 sofrido no primeiro jogo, os ingleses se fecharam com tudo, já que, se não tomassem gols, sairiam classificados.

Josep Guardiola escalou sua equipe em um 3-4-3, com o zagueiro Piqué de volta à zaga, mas com trio ofensivo formado por Messi, Cuenca e Sánchez. Com isso, sobrou para o brasileiro Daniel Alves, que começou a partida entre os reservas.

O Chelsea contou com Droga no ataque, após o centroavante marfinense ter sido dúvida para a partida desde o fim do jogo de ida no Stamford Bridge. Roberto Di Matteo, assim, manteve a mesma escalação do jogo em Londres, apostando em um meio-campo de muita força física e velocidade.

Ignorando a estratégia do italiano e aproveitando dos espaços que tinha e da postura recuada do Chelsea, o Barcelona impôs seu ritmo desde o começo do jogo, tocando a bola na intermediária do adversário. Logo aos dois minutos Messi tabela com Sánchez e recebe de frente para Cech, mas finaliza para fora.

Poucos instantes depois, o zagueiro Cahill deu um susto em Roberto Di Matteo, quando sentiu dores na coxa esquerda. O lateral Bosingwa se preparou para entrar e a placa da substituição chegou a subir, mas o técnico italiano desistiu da alteração e foi advertido pela arbitragem. Aos 11 minutos, a mexida acabou enfim efetuada. Com a entrada do português, Ivanovic passou para a zaga.

Aos 15 minutos o susto acabou sendo maior, dessa vez do lado do Barcelona. Em uma bola enfiada para Didier Drogba, o goleiro Valdés acabou atingindo Piqué e Drogba. O zagueiro espanhol levou a pior e ficou caído no campo por alguns instantes e precisou de atendimento médico.

Os incidentes não esfriaram o time de Guardiola. Aos 18 minutos, após uma jogada em alta velocidade, Fàbregas serviu Messi de letra, deixando o argentino na cara do gol, para finalizar em cima de Cech.

O Chelsea tentava chegar ao ataque sempre com Drogba, completamente isolado no setor ofensivo da equipe. Aos 24 minutos, em uma arrancada, o marfinense ganhou de Piqué após um chutão e acabou batendo para fora. No lance, o zagueiro do Barça acabou pedindo substituição após perder a jogada. Em seu lugar, entrou Daniel Alves.

Com mais um jogador de toque de bola, o Barcelona seguiu em cima do Chelsea, e em nove minutos reverteu a vantagem dos londrinos. Aos 34 minutos, em jogada iniciada por Daniel Alves que recolheu rebote na entrada da área, Fàbregas jogou a bola para o meio da área e encontrou Busquets sozinho, que só precisou empurrar para dentro das redes.

Já aos 43 minutos, o melhor jogador do mundo apareceu e mesmo seguindo sem marcar contra o Chelsea foi decisivo ao dar passe açucarado para o gol de Iniesta, que colocava o Barça provisoriamente nas semifinais.

Antes disso, a situação dos visitantes já tinha se complicado quando John Terry acabou expulso, aos 39 minutos. O zagueiro inglês foi flagrado por um dos auxiliares dando uma joelhada nas costas de Alexis Sánchez.

Mesmo com tudo contra, aos 46 minutos, um brasileiro jogou água no chope dos catalães. Após um lançamento de Lampard, Ramires ganhou na corrida de Puyol e deu um toquinho leve para encobrir Valdés, marcando um golaço e calando o Camp Nou.

O segundo tempo começou frenético, com o Barcelona jogando tudo para marcar, já que o gol do ex-cruzeirense ia colocando o Chelsea na decisão. No primeiro minuto, Iniesta recebeu pelo meio e concluiu de pé esquerdo, mas a bola desviou e acabou saindo em escanteio.

No minuto seguinte foi a vez de Fàbregas receber na área e acabar sendo derrubado por Drogba. O árbitro Cüneyt Çakir marcou pênalti para protestos dos ingleses. Messi foi para a cobrança e carimbou no travessão.

Os nervos estavam à flor da pele e os jogadores foram ficando cada vez mais exaltados. Enquanto isso, apesar de mais nervoso pela necessidade de reverter o placar, o time espanhol seguia pressionando. Aos nove, Sánchez teve nova oportunidade ao receber cruzamento na área que saiu fraco.

busando dos toques curtos e das bolas enfiadas para dentro da área, o Barcelona começou a diminuir as chances de gol criadas. Aos 28 minutos, Guardiola substituiu Fabregas por Keita, tentando colocar um homem de mais força física em campo.

Nos 15 minutos finais, o jogo se tornou um literal ataque contra defesa, com dez homens do Barça no campo de ataque e dez do Chelsea para trás da intermediária defensiva. Aos 35, a última mexida dos ‘Blues’ foi a saída do exausto Drogba para a entrada de Torres.

Nos dois minutos seguintes, contudo, a equipe de Roberto Di Matteo tomou dois sustos. Primeiro após um cruzamento de Daniel Alves para Sánchez marcar, em lance que acabou anulado pela arbitragem. Em seguida, Messi recebeu na entrada da área, limpou a zaga e fuzilou para leve toque de Cech que desviou antes da bola explodir na trave.

Aos 44, a última conclusão do Barcelona na atual edição da Liga dos Campeões, quando Mascherano bateu cruzado da entrada da área para grande defesa de Petr Cech.

E depois de tanto insistir, os catalães acabaram pagando aos 47 minutos do segundo tempo pela sua falta de competência nas conclusões. Sozinho no ataque, Fernando Torres recebeu chutão da defesa e ficou no mano a mano com Victor Valdés. O atacante espanhol carregou em direção ao gol, se livrou do camisa 1 do Barça e empurrou para a rede, garantindo a classificação.

Ficha técnica:.

Barcelona: Valdés, Puyol, Mascherano e Piqué (Daniel Alves); Busquets, Xavi, Iniesta e Fabregas (Keita); Messi, Cuenca (Tello) e Sanchez. Técnico: Josep Guardiola.

Chelsea: Cech; Ivanovic, Cahill (Bosingwa), Terry e Cole; Mikel, Lampard, Meireles, Ramires e Mata (Kalou); Drogba (torres). Técnico: Roberto Di Matteo.

Arbitragem: Cüneyt Çakir (Turquia), auxiliado pelos seus compatriotas Bahattin Duran e Tarik Ongun.

Cartões amarelos: Iniesta e Messi (Barcelona); Cech, Ivanovic, Ramires, Lampard, Mikel e Meireles (Chelsea).

Cartão vermelho: Terry (Chelsea).

Gols: Busquets e Iniesta (Barcelona); Ramires e Fernando Torres (Chelsea).

bg/dr