COI promete “tolerância zero” com doping

'É um relatório profundamente chocante', diz entidade olímpica, sobre acusações da Agência Internacional Antidoping

Um dia após a publicação do relatório da Agência Internacional Antidoping (Wada), na qual a entidade acusou autoridades russas de compactuar com a manipulação de testes de doping, o Comitê Olímpico Internacional (COI) divulgou um comunicado em que lamenta o escândalo e manifesta apoio ao trabalho da nova diretoria da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF).

“É um relatório profundamente chocante e muito triste para o mundo do esporte. O COI confia que a nova liderança da IAAF, com o presidente Sebastian Coe, chegará a todas as conclusões e tomará as medidas necessárias”, diz a nota. Em relação ao pedido da Wada para banir a Rússia dos Jogos do Rio-2016, o COI prometeu investigar a fundo as acusações, e caso confirmadas, tomar medidas rigorosas: “Iremos estudar cuidadosamente o relatório a respeito dos Jogos Olímpicos. Se quaisquer infrações nas regras de antidoping por atletas e/ou suas comitivas forem estabelecidas, a entidade irá reagir com sua usual política de tolerância zero”.

A entidade olímpica também avisou que pretende realizar testes independentes das organizações esportivas e designou à Wada a missão de apresentar novas propostas para aumentar o controle e o rigor. Por fim, sugeriu a suspensão provisória do título do ex-presidente da IAAF, Lamine Diack, como membro honorário do COI. O ex-dirigente senegalês é acusado de receber propina de medalhistas para abafar os casos de dopagem.

Rússia – O porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, afirmou nesta terça-feira que a Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) não apresentou provas de que o país colabora com a prática “sistemática” de doping no atletismo e disse que as acusações “parecem não ter fundamento”. A Wada afirma ter constatado suborno de dirigentes, compra de resultados e até um laboratório secreto, no qual teriam sido destruídos mais de 1,4 mil amostras de sangue de atletas, para que não caíssem no antidoping.

(Com Gazeta Press e Estadão Conteúdo)