Clube checo encontra solução criativa para punir machistas

Dupla de jogadores que ofendeu bandeirinha terá que treinar alguns dias com a equipe feminina do Sparta Praga

O Sparta Praga, clube mais popular e tradicional da República Checa, puniu de forma exemplar dois de seus atletas que no último fim de semana fizeram declarações altamente machistas. O goleiro Tomas Koubek e o meia Lukas Vacha apelaram ao antigo chavão “lugar de mulher é no fogão” para ofender a bandeirinha Lucie Ratajová, no empate 3 a 3 com o Brno, pela liga nacional. O caso gerou enorme repercussão e não passou impune.

A diretoria do Sparta definiu que tanto Koubek, que também defende a seleção checa, quanto o volante Vacha foram escolhidos “embaixadores do time feminino” do Sparta, que disputa a Liga dos Campeões da Europa. Eles ainda terão que treinar com a equipe feminina “para ver que mulheres não são só úteis no fogão”, conforme explicou o CEO do clube, Adam Kotalík, em comunicado

O dirigente disse entender que as declarações foram feitas “no calor do jogo”, mas ressaltou que “há limites”. Koubek, ao fim da partida, reclamou de um gol que seria originário de um lance de impedimento e disse que “mulheres deveriam ficar no fogão e não decidir futebol masculino’.

Já Vacha postou no Twitter uma foto da bandeirinha com a legenda “para o fogão”. O mesmo jogador, um mês antes, compartilhou na mesma rede social uma montagem com uma foto da bandeirinha brasileira Fernanda Colombo Uliana trabalhando e outra de uma modelo, que se parece com Fernanda, de biquíni. Na legenda, escreveu: “E então os árbitros são ruins”.

Diante da repercussão negativa, o goleiro Koubek postou uma foto da esposa e de sua filha no estádio para tentar se explicar. “Ontem, em Brno, cometi um erro que causou um monte de emoções… Imediatamente após o jogo, eu disse algo que eu lamento e pelo qual gostaria de pedir desculpas a todas as mulheres. Não sou machista, minha declaração foi dirigida a uma pessoa específica em uma situação específica que surgiu no jogo. A propósito, eu amo minhas meninas, e quero que alcancemos algo que nos orgulhe”, escreveu. Já Vacha manteve as postagens machistas em sua conta no Twitter.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Eu iria achar uma delícia. Agora sim é que eles vão xingar!

    Curtir